terça-feira, 31 de março de 2009

Coluna do Leitor: GP da Austrália 2009 por Gregório Charczuk Jr.

Outra coluna volta a dar o ar de sua graça no blog, é a COLUNA DO LEITOR. Surpreendi-me tanto com a lucidez, poder de síntese e a perfeição da análise de meu amigo GREGÓRIO CHARCZUK JR ao comentar no post ESQUECERAM DE COMBINAR COM BUTTON que resolvi promover seu comentário à coluna.
Vejamos então a análise do GP da Austrália do GAUDÉRIO DA FÓRMULA 1:


"Fala Ribeiro;
Voltando a dar uns pitacos aqui no seu excelente blog; depois de um bom tempo; eis meu ponto de vista do início da temporada:

Como corrida, a primeira é sempre uma corrida boa; por motivos até óbvios; entre eles: a vontade de ver a F1 novamente, ainda mais depois de tanta espera; e pelo fato de ser um circuito de "rua"; então alguns prognósticos vão para o espaço. Melbourne não pode ser parâmetro para o Mundial.
Na Malásia; aí sim um circuito; as coisas podem ser mais esclarecidas.

Mas a F1 está tão competitiva assim?
Sei não...
Até agora só mudaram a força das equipes; saíram McLaren e Ferrari e entrou a Brawn; claro que não é aquele absurdo de os caras chegarem com 30 e tantos segundos na frente dos demais, como acontecia a alguns anos atrás; mas se a turma não reagir a tal competitividade vai para o espaço.
Mas que é muito boa a oxigenação; isso ninguém pode negar. E a temporada promete. Como emoção está excelente; vejamos o que nos aguarda.

A corrida e seus desdobramentos:

Gostei da corrida, e o Button não foi ameaçado em momento algum no final de semana; merecidíssimo a segunda vitória do Inglês. Mas ainda quero ver esse sujeito sob pressão e na hora de poder alcançar um título por exemplo (Esse pode ser o ano). Nunca esquecer que esse mesmo Button tomou "ferro" do medíocre Ralf Schumacher na Williams; do outro medíocre Fisichella na Benetton; e do tão comentado Rubens na própria Honda.

O Vettel ainda precisa comer mais "feijão"; mas é guri, tem o desconto; mas colocar um terceiro lugar no ralo em um campeonato que promete, é no mínimo BURRICE; os pneus tinham ido para o espaço, tinha que ter deixado o "Roberto" passar e finalizado a prova em 3°.
Mas da safra nova (de dois anos para cá) me arrisco a dizer que é o melhor de todos.

Kubica fez um corridaço; com aquela BMW sofrível e sem o KERS para mim foi o melhor da prova; até porque eu não acho que ele teve culpa na porrada.

Trulli foi outro que fez um corridão; agora a F1 tem alguma coisa contra Japonês; não pode ser; Japonês é sempre punido na F1; por isso a Honda largou fora também; na época da BAR era a equipe que mais sofria punições na F1; agora restou a Toyota para os "velhos" da FIA punirem sempre; sacanagem isso.

Hamilton; outro que fez uma corridaça; só reitera seu título. Aliás essa temporada vai amadurecer ainda mais o Lewis; mais até que o título do ano passado.

Alonso; o MELHOR PILOTO da F1 Atual; levar um CLIO 1.0 na zona de pontos; não precisa dizer mais nada. É só observarem as LINHAS e o DESENHO do carro da Renault e compararem com a Brawn; a Brawn é curvilínea e curta a Renault pontuda; reta e longa; qual carro tem a melhor aerodinâmica do GRID??? Alonso é o CARA.


Nico Rosberg; esperava bem mais do filho do "Keijo" até porque a Williams não parece ser um carro ruim; prova bem meia boca a do germânico.

Buemi; para primeira corrida está ótimo; vejamos o que o suíço pode nos mostrar no decorrer do campeonato.

OS BRASILEIROS:

Rubens:

Prova no mínimo engraçada; e olha que eu sou admirador e defensor do Rubens; é muito bom piloto.
Vejo corridas a mais de 23 anos e nunca dei bola para o que a dita imprensa especializada publica; salvo raras exceções.

Como resultado, a corrida do Rubens foi ótima, mas a atuação será que foi tão boa assim??
O que eu vi do Barrica:

Não pode deixar de engatar a primeira marcha na largada; o Barrica quase pôs tudo a perder ali. Início de temporada é crucial.
Porém parece que a sorte esta mudando de lado. Em outros tempos o Barrica ficaria na largada; dessa vez o cara fez "barbeiragens" na corrida; (teve outro toque; que não lembro agora com quem; que não pode fazer); não é punido pelos comissários; e ainda é beneficiado pela sorte na disputa pelo 2° lugar. Se continuar assim, está melhorando;... no quesito sorte.
Agora; vai ter que ser mais incisivo que o Button nesse início de temporada; se não, ficará atrás do Inglês ao invés do alemão.
Até porque o Button está com o tesão a mil para tirar do Lewis o título de queridinho da Coroa.
Ou o Rubens ganha dessa vez ou será o eterno QUASE.
Não quer dizer que seja ruim; apenas o quase; como muitos outros bons pilotos também foram; entre eles:
Stirling Moss; Clay Regazzoni; Gehard Berger; David Coulthard; Eddie Irvine e afins...

Torço e muito para o cara; mas na Malásia tem que vir a VITÓRIA; se o Button vencer; a equipe fecha com ele e adeus Rubens.

Massa:

O Massa melhorou muito no último ano; nessa corrida vinha bem. O carro da Ferrari parece ser meia boca; e nessa pista eles geralmente não vão bem. Não teve culpa alguma. O Kimi "Cachaça" sofreu com a "Rossa" também.

Piquet Jr:

Aqui fala o Gaudério da F1:

Tchê; larga de mão esse troço e vai correr na Stock Car, guri.

Qual a desculpa dessa vez; não conhece mais as pistas do início da temporada?
Na boa, Piquet pai está pagando a conta da vez que avacalhou o DAMON HILL dizendo que quando disputava com o Schumacher era apenas o filho do Graham.
Detalhe; Damon venceu um campeonato em cima do Michael e teria vencido outro em 1994, se a FIA fosse séria. E Piquet Jr venceu o que?
Até agora acho que nem campeonato de autorama com os demais pilotos do padock da F1.
Para mim, o Piquet pai é o cara; mas a língua dele; às vezes; é pior que uma fossa aberta. Lembrem que o mesmo disse que seu filho era melhor que ele. Está certo que pai é pai; mas aí não, Seu Piquet...

Desculpa a extensão do texto.

Abraço a todos e que venha a Malásia"
Gregório.

DESCULPAR O QUE, MEU CARO GREGÓRIO ???
SÓ TENHO A AGRADECER PELA COLABORAÇÃO TÃO VALIOSA, "TCHÊ" !!!

domingo, 29 de março de 2009

Esqueceram de combinar com BUTTON


O enredo estava pronto. Barrichello, o brasileiro que não desiste nunca (odeio essa falsidade lulista), estava pronto a ir à forra contra todos os seus detratores, zombeteiros de plantão que nunca souberam enxergar as qualidades do brasileiro injustiçado. Ufanistas de plantão bradaram a todos os cantos: AGORA É NOSSA VEZ, RUBINHO SERÁ O PALADINO DOS DESCAMISADOS, DOS SEM TETO, DOS SEM TERRA, ENFIM, DE TODOS OS SUPOSTOS FRACOS E OPRIMIDOS ESPALHADOS PELA TERRA BRASILIS. Felipe Massa, o herói de Interlagos e vítima de uma suposta teoria da conspiração encabeçada pelo "vendido" Timo Glock, foi relegado ao esquecimento. O nome da hora era sempre RUBINHO, o quase aposentado, que em um passe de mágica se tornou o novo imperador do Brasil na Fórmula 1 guiando a nova carruagem dourada recentemente transmutada de abóbora sem valor.
Tudo muito lindo, tudo muito bacana...
Mas, esqueceram de um mero detalhe (insignificante, para o tolo julgamento dos incautos): COMBINAR O ENREDO DE CONTO DE FADAS TUPINIQUIM COM JENSON BUTTON.

Reiteradas vezes, e os meus amigos não vão me deixar mentir, eu AFIRMEI em chats, fóruns sobre automobilismo e comentários em blogs diversos e portais de notícia: GOSTARIA DE VER BUTTON EM UM CARRO DE PONTA, ACHO QUE ELE TEM MUITO POTENCIAL E PRECISA APENAS DE UMA OPORTUNIDADE PARA MOSTRÁ-LO !!!
E a oportunidade surgiu logo na abertura do campeonato mundial de Fórmula 1 de 2009... E o que fez o inglês ? BARBA, CABELO E BIGODE !!! Button foi soberbo em Albert Park, guiou com precisão, largou como campeão e se comportou ao longo da corrida como se fosse um neo-Schumacher, acostumado a glórias e vitórias. Espetacular e arrasador, o inglês com cara de Chris Martin (vocalista do Coldplay), desfilou incólume seu surpreendente Brawn GP em terras australianas.

Rubens, beneficiado pelo desastre causado pelo bom Sebastian Vettel, ainda conseguiu um surpreendente segundo lugar (surpreendente por causa de sua horrível largada), mas foi completamente ofuscado pelo brilhante inglês que, na falta de um bom carro da Mclaren que proporcione ao campeão britânico Hamilton possibilidades dignas de defender seu título, soube empunhar com GALHARDIA o estandarte azul, vermelho e branco que recebeu a alcunha de UNION JACK.

PARABÉNS BUTTON !!! Estou muito orgulhoso de você e, como torcedor de arquibancada de futebol brasileiro, empunho satisfeito meu cartaz: EU JÁ SABIA ! ! !

quarta-feira, 25 de março de 2009

Novo post pré corrida: Austrália

Enfim começará a temporada de 2009, e com ela uma marca registrada do blog está de volta, os POSTS PRÉ CORRIDA. Para este ano resolvi inovar e, ao invés de continuar a fórmula usada anteriormente que consistia em escolher um fato ocorrido no passado da corrida em questão e contá-lo usando um vídeo ou uma foto emblemática para ilustrá-lo, vou contar TRÊS histórias usando UMA IMAGEM, UMA MINIATURA e UM VÍDEO para ilustrá-los. Será sempre assim: uma imagem marcante com uma foto em alta resolução para fazer download, uma miniatura confeccionada especialmente para a corrida em questão e um vídeo legal de um acontecimento importante.
Inauguremos, então, o novo POST PRÉ CORRIDA com as histórias australianas:

1 - A IMAGEM:

Melbourne 2006, na última curva, o motor Honda de Jenson Button explode dando um show pirotécnico à frente da Renault de Giancarlo Fisichella e a equipe manda Button , que estava na quarta posição, não completar a corrida - faltava só um pedaço de reta - para não ser punido com a perda de dez posições no grid da próxima corrida, que ocorreria em Ímola. A decisão se revelaria equivocada, pois fizeram Button desperdiçar cinco valiosos pontos para nada, porque Button, apesar de largar em segundo em Ímola, chegou apenas em sétimo lugar, marcando dois míseros pontos.

2 - A MINIATURA:

Pilotar uma Ferrari é sonho de dez entre dez pilotos que chegam à Fórmula 1. O que representaria para um desses pilotos ver seu sonho realizado e ainda por cima estrear na mítica equipe fazendo um HAT TRICK ? Seria um sonho inimaginável até para o melhor dos roteiristas de Hollywood, certo? E não é que o tal sonho aconteceu... Kimi Räikkönen estreia na Ferrari em 2007 nas ruas do Albert Park em Melbourne, faz a pole position, crava a melhor volta e vence (para quem não sabe esse triunfo triplo é denominado hat trick no automobilismo) no melhor estilo cesariano VEDI VINI VICI.
Acontecimento de tal porte merecia uma miniatura comemorativa, não merecia? Pois a HOT WHEELS tratou de eternizar o momento para os colecionadores lançando a série especial KIMI RÄIKKÖNEN F2007 HAT TRICK, na escala 1/18, que além de contar com a figura do finlandês comemorando com punhos cerrados a vitória, veio com uma caixa especial e uma base com placa personalizada, ambos enaltecendo o feito de Kimi.

3 - O VÍDEO:

video

A Fórmula 1 chega às ruas de Adelaide em 1990 - última corrida do ano - com o título já decidido em favor de Ayrton Senna. A corrida já seria festiva pois comemoraria-se o quingentésimo grande prêmio da Fórmula 1. E o que já era festa se tornou uma exibição de gala do brilhante NÉLSON PIQUET que, caminhando para o ocaso de sua carreira, roubou a cena fazendo uma das melhores exibições de sua carreira e vencendo de forma espetacular a corrida, com um carro nitidamente inferior. Destaque total para o clímax atingido na última volta com a disputa fantástica entre Piquet e o fabuloso LEÃO, NIGEL MANSELL.

Felicidade !!!

Lotus 49, considerado por especialistas um dos 3 carros mais bonitos de todos os tempos. Carro clássico em que correu a lenda JIM CLARK em 1967, um dos melhores campeonatos de toda a história da Fórmula 1. Imaginem qual o valor de uma peça de memorabilia de um carro fantástico como esse... Ah, lá vem mais uma miniatura, poderiam pensar vocês, mas não desta vez. O motivo de minha enorme felicidade foi a chegada ontem de um ítem de memorabilia especialíssimo de um dos meus carros preferidos, não vou traduzir em palavras meu contentamento, vou compartilhar com vocês as imagens do motivo de tanta alegria:



MAIS UM ÍTEM ESPECIALÍSSIMO PARA MINHA COLEÇÃO DE INDUMENTÁRIA DA FÓRMULA 1.

domingo, 22 de março de 2009

Miniatura da Vez 22 - Miniaturização de um momento histórico

Apresento hoje uma das miniaturas prediletas de minha coleção particular: a WILLIAMS FW 14 de Nigel Mansell, série especial GP da Inglaterra de 1991, onde Mansell deu a famosa carona a Ayrton Senna logo depois que o brasileiro abandonou a corrida na última volta por pane seca, quando estava em segundo lugar.

Nigel Mansell cruzou a linha de chegada em primeiro lugar e causou um imenso frisson na torcida inglesa que, ensandecida, invadiu a pista enquanto o Leão comemorava enlouquecidamente seu triunfo em casa. No meio do circuito de Silverstone, Mansell encontra um Senna desolado pelo seu infortúnio e, numa daquelas mágicas e únicas oportunidades da vida de cada ser humano de fazer algo extraordinário, decide estacionar o carro ao lado do brasileiro e oferecer-lhe uma carona.

Senna prontamente aceita a oferta de Mansell, senta-se no lado esquerdo da carenagem do Williams vencedor de Mansell acomodando sua perna direita dentro do cockpit e lá se foram dois reis do espetáculo do esporte a motor desfilando junto pela metade restante do traçado de Silverstone a caminho dos boxes.

A fábrica alemã de miniaturas MINICHAMPS tratou de nos presentear com a miniatura que considero a mais importante que a marca já manufaturou e retratou o desfile gala dos deuses da velocidade em duas escalas, meu modelo retratado aqui é da escala 1/18, mas para aqueles que gostam dos modelos diminutos há disponível também a miniatura na escala 1/43.

A miniatura foi muito bem confeccionada e, para o deleite dos colecionadores , conta com partes móveis que, sendo removidas, permitem a visualização do motor e da suspensão ativa usada pelo fabuloso Williams de Mansell, foto 4 (clique nela para visualisar melhor).

Na mesma foto 4 vocês poderão observar também que a figura de Senna também é removível. E quem possui a miniatura ou pôde vê-la de perto ficou muito satisfeito com o trabalho feito com a figura de Senna, a mais bem feita pela Minichamps até hoje.

Mas nem tudo são flores... Deem uma olhada na foto oficial da Minichamps e veja como ela realmente é comercializada:

Notaram a cagada ? Pois é, mais uma vez a Minichamps insiste em não retratar o carro alvo com uma réplica fiel, ficou faltando o logotipo da CAMEL. No GP da Inglaterra - como em outros da Europa - havia na época uma proibição parcial de propagandas tabagistas, ou seja, os carros não podiam correr com as inscrições do cigarro que os patrocinava mas podiam estampar seu logotipo na carenagem. E o mais estranho e pertubador é que a Minichamps fez várias réplicas corretas exibindo exatamente a mesma situação, querem ver:

1 - Que tal essa Benetton de Roberto Moreno?

2 - E essa Benetton de Michael Schumacher ?

3 - Ou a Lotus de Satoru Nakajima onde aparece a inscrição LOTUS substituindo CAMEL mas o logotipo está lá em todas as partes do carro:

Visto isso, fica claro e evidente que não há motivos para a Minichamps não confeccionar o camelinho-símbolo da Camel na Williams. Parece que a fábrica gosta mesmo é de atazanar a vida dos colecionadores fazendo-os correr atrás de decalques para adesivar suas miniaturas, aumentando custos de um produto que por si só já é caro e causando transtornos para achar tais adesivos, que não são assim tão fáceis de serem adquiridos. No meu caso, comprei a miniatura já adesivada na Europa algum tempo atrás.

FICA, PORTANTO, ESSA COMO A ÚNICA BRONCA, PORQUE A MINIATURA É SOBERBA !!!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Por que idolatrar GILLES VILLENEUVE ?

Muitos pacientes, amigos e mesmo os leitores que estreitaram laços comigo, mais jovens, sempre me indagam o porquê de pessoas de minha faixa etária - tenho 35 anos - ou mais velhas que eu idolatrarem tanto Gilles Villeneuve, uma vez que o canadense-maravilha nunca foi campeão, ganhou apenas seis vezes e fez duas pole positions. A resposta me vem de forma tão abrupta e rápida que nem preciso refletir para responder: FÁCIL, PORQUE GILLES FOI O MAIOR PILOTO-ESPETÁCULO QUE EU VI CORRER EM MINHA VIDA.
Gilles foi tão sensacional que precisou de apenas 67 corridas para deixar registrada na memória de quem o viu correr a imagem de ídolo espetacular, que muito mais do que se preocupar em levar seus carros até o fim para marcar pontinhos de forma redondinha sem se arriscar e matar os espectadores de tédio em frente à TV dava show constantemente, fosse correndo com três rodas como em Zandvoort, fosse se engalfinhando curva a curva na famosa batalha de Dijon Prenois com René Arnoux, fosse... Ah, são tantas histórias... Mas escolhi uma passagem desse fabuloso maluco das pistas que marcou demais minha infância e me fez apaixonar de vez pela Fórmula 1 para responder o tal questionamento. A foto debaixo ilustra a passagem:

O espetacular feito de Gilles tomou lugar em sua própria casa, o GP do Canadá, o ano era 1981 e Villeneuve simplesmente barbarizou ao levar seu carro nas condições vistas na foto ao PÓDIO. E o mais incrível é que mesmo com o carro completamente avariado, Gilles conseguiu manter quase o mesmo ritmo veloz de antes. Parece muito ? E seu adicionar à já tão pitoresca história o fato de estar chovendo torrencialmente naquela tarde de 27 de setembro?
Gilles era assim mesmo, não importava para ele o que estava acontecendo à sua volta, importava apenas satisfazer seu desejo irreprimível de dar espetáculo. O feito foi tão marcante que mereceu uma homenagem especial do grande cartunista MARTIN TRUNDLE:

E não podiam faltar miniaturas para eternizar um dos maiores feitos de heroísmo, loucura e romantismo da história da Fórmula 1:



Para quem nunca viu o ONÍRICO acontecimento de 27 de setembro, aqui vão dois vídeos - o primeiro em português inclusive - para que possam atestar a veracidade de minhas palavras:

video video

Agora, me digam, só por um fato destes - jamais repetido por absolutamente NINGUÉM - já não daria para idolatrar esse DOCE MALUCO ?

VIVA GILLES VILLENEUVE, MAIOR ÍCONE DO AUTOMOBILISMO-ESPETÁCULO DE TODOS OS TEMPOS !!!

quarta-feira, 18 de março de 2009

VÍDEOS INCRÍVES 31 - Duas figuraças da Fórmula 1 brincam com o papa da locução mundial

video

Murray Walker, o papa das transmissões de Fórmula 1 no mundo, tenta fazer uma reportagem na equipe Williams nos tempos de Piquet e Mansell... Tenta, mas olhe a bagunça que essas duas figuraças aprontam com o velho Murray.

UM VÍDEO DESCONTRAÍDO DE TRÊS GRANDES LENDAS DA FÓRMULA 1.

terça-feira, 17 de março de 2009

Sugestão de Patrocínio

Essa foi boa ...
A nova leitora do blog, Eliana Silva, mandou as seguintes fotos como sugestão de patrocínio para a BRAWN GP, carro sensação dos testes pré-temporada.
Resta saber Eliana, se o pessoal da Braun, empresa de eletrodomésticos , se animaria com a SUPOSTA espetacular performance dos carros da Brawn e gostaria de aproveitar o trocadilho para injetar dinheiro na equipe.

Só para constar: o carro das fotos da brincadeira são da TYRRELL-HONDA (olha outro motivo aí para piadas) 020 guiado por SATORU NAKAJIMA (qualquer semelhança com Kazuki Nakajima NÃO é mera coincidência, Satoru é pai de Kazuki) na temporada de 1991.

sábado, 14 de março de 2009

Grata Surpresa

Eu, que sempre estou a criticar a falta de memória do povo brasileiro , venho por intermédio deste post dar a mão a palmatória - feliz da vida - e elogiar os curitibanos pela RELÍQUIA que guardam em sua lindíssima cidade. O MUSEU DO AUTOMÓVEL de Curitiba localizado na Avenida Cândido Hartmann, n° 2300, Parque Barigui, conta em seu acervo com nada mais nada menos que a MCLAREN M23 que conduziu EMERSON FITTIPALDI ao seu segundo título mundial em 1974, vejam as fotos.

Destaque total do acervo do museu, que conta com 60 carros permanentes em estado impecável de conservação, o M23 foi doado ao museu pela Phillip Morris, proprietária da marca MARLBORO, um dos patrocinadores principais do carro na época ao lado da petrolífera TEXACO. E o mais interessante do carro do museu é que as leis restritivas ao tabagismo não impediram - até hoje pelo menos - a exposição de seu leiaute (é assim mesmo que se grafa em português, por mais estranho que possa parecer) completo, com sua inscrição TEXACO-MARLBORO intacta.

A dica está dada, meus caros, não deixem de visitar essa PRECIOSIDADE do automobilismo mundial e aproveitar a rara chance de ver um campeão mundial face a face no Brasil. Ajudem a divulgar a notícia para que os fãs brasileiros da Fórmula 1, sequiosos por oportunidades como essa, possam desfrutar de tamanha maravilha.

TINHA QUE SER EM CURITIBA, UM DOS MAIORES PATRIMÔNIOS DA CULTURA E DA MEMÓRIA BRASILEIRA, PARABÉNS CIDADE MODELO !!!

quarta-feira, 11 de março de 2009

We all live in a yellow... Mclaren

Gp de Portugal , 1986, décima quarta corrida de um dos melhores campeonatos da história da Fórmula 1. Quatro pilotos iniciaram o final de semana com chances de arrebatar o título do ano: o atual campeão Alain Prost (defendendo a Mclaren-Porsche), o bicampeão Nélson Piquet, a nova estrela inglesa Nigel Mansell (ambos da Williams-Honda) e a sensação da Lotus-Renault Ayrton Senna. Findada a corrida, Mansell vence de forma triunfal, Prost herda a segunda posição com a pane seca de Senna e a rodada de Piquet a seis voltas do fim, e Piquet completa o pódio. Senna amarga um quarto lugar e, pior ainda, vê suas chances de continuar na briga pelo título irem para o espaço. Dentro deste contexto, uma aposentadoria já havia sido anunciada: a do campeão mundial de 1982, Keke Rosberg. O finlandês amargou uma temporada péssima, sem nenhum resultado expressivo - sua melhor colocação em uma corrida foi um modestíssimo segundo lugar em Mônaco, único pódio do ano - obteve apenas uma pole position e na contagem final dos pontos fez apenas 22 (sexta colocação no final do campeonato), contra um handicap acachapante de seu companheiro de equipe Alain Prost: Campeão do ano, com 72 pontos, 4 vitórias, 1 pole position e 11 pódios.

Mas, se Keijo Erik Rosberg não foi destaque durante toda a temporada, pelo menos durante o final de semana lusitano foi. Não por sua performance - que mais uma vez deixou a desejar - mas pelo fato de a Philip Morris - proprietária da marca Marlboro - exigir que o carro número 2 da Mclaren carregasse as cores de seus cigarros Marlboro Lights:

A iniciativa não deu certo porque a pintura realizada no carro de Rosberg não seguiu fielmente as cores douradas da caixa de cigarros e o efeito estético ficou muito desagradável aos olhos do patrocinador. A Mclaren de Keke ficou demasiadamente amarela - como atestam as várias fotos disponibilizadas - e, como a tecnologia da televisão de 1986 não era das mais avançadas, o efeito visual ao ver o carro pela TV produziu descontentamento geral, fato que levou a Philip Morris a requisitar à equipe de Ron Dennis que voltasse a pintar o carro com o vermelho e branco tradicional da Marlboro para as duas corridas finais.

Muitos colecionadores, ávidos por carros raros, sempre me questionam ao tomarem conhecimento do fato: "Existe miniatura desta curta aventura da Marlboro Lights ?
Respondo agora não só para eles como para todos os leitores: Existe sim, mas somente na escala 1/43. É essa aqui:

A fábrica que eternizou o acontecimento foi a MINICHAMPS e, como é de praxe, cometeu o velho erro de não adesivar o carro com a inscrição tabagista, reparem nas fotos. Ora , se uma fábrica se dispõe a fazer a réplica de um carro específico de uma determinada corrida tem que fazê-lo de forma fiel, ainda mais quando a modificação se concentra no próprio patrocínio tabagista. Se as leis européias - a fábrica é alemã - não permitem tal inscrição, que retratassem então um carro que correu sem Marlboro, mas...

Para o bem dos puristas existem os modelistas, esses verdadeiros anjos dos colecionadores, que estão sempre aptos a resolver o problema criado pelas fábricas. Nas fotos abaixo reparem a adição da IMPRESCINDÍVEL inscrição Marlboro feita pelo meu amigo Rogério Stanke na miniatura dele. As quatro fotos da miniatura são todas do mesmo modelo para facilitar a comparação do antes e depois, reparem:

Feia ou bonita, essa Mclaren justamente por ter corrido somente uma vez com esse leiaute é - indiscutivelmente - RARA !!!

Para descontrair...


Piadinha - realista - muito boa enviada pelo meu querido tio, Vilmondes Ribeiro (clique nela para ampliar). Como é bom perceber a evolução clara do pensamento humano em relação ao preconceito racial...

quinta-feira, 5 de março de 2009

Resposta do desafio do leitor 3

Poxa vida, neste desafio - ao contrário dos outros - achei que haveria um alto índice de acertos, mas NINGUÉM acertou - nem por comentários nem por e-mails - a última pergunta, todo mundo se distraiu com as as fitas isolantes e as entradas de ar dianteiras, mas ninguém percebeu um GRANDE detalhe do lado do cockpit do carro...

Vamos às respostas, então:

1 - O carro é um BRABHAM BT 34 ;
2 - Seu condutor é o famoso inglês GRAHAM HILL ;
3 - O ano que correu foi 1971;
4 - E, o peguinha que pegou todo mundo, O CARRO POSSUI 4 RETROVISORES... (cliquem na foto para ampliar e perceber o detalhe que passou despercido por todos).

É isso aí, meus caros, mandem mais desafios para que possam ser publicados. Obrigado ao parceiro PC.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Desafio do Leitor 3

Mais um pequeno enigma para o deleite dos pesquisadores do automobilismo, esta charada foi enviada por e-mail pelo grande amigo e parceiro Paulo César Faria e o desafio lançado pelo PC é o seguinte:

1 - Que carro é esse?
2 - Qual o piloto?
3 - Que ano correu?
4 - E, finalmente, qual a bizarrice que o carro apresenta?

Olhos atentos na foto, respondam se puderem...

segunda-feira, 2 de março de 2009

VÍDEOS INCRÍVEIS 30 - Talento não só para acelerar...

video video
Quem disse que piloto de Fórmula 1 só sabe acelerar ?
Os três vídeos dispostos para apreciação aqui demonstram outros talentos dos bons de bota:
1 - Jacques Villeneuve num clipe abreviado da primeira música de trabalho de seu CD Private Paradise, denominada ACCEPTERAIS-TU.
2 - No segundo vídeo aparece não só o Gentleman Driver Damon Hill liderando a guitarra em um divertido sarau com John McEnroe, como também o impagável Eddie Jordan batucando competentemente sua batera.
3 - E finalmente, no terceiro e último vídeo surge o saudoso Elio de Angelis se apresentando habilmente num belíssimo piano de cauda em um talk-show alemão em 1985.

video
Três curiosos e divertidos momentos de antigos heróis das pistas que nos deixaram saudades.