domingo, 21 de junho de 2009

Não Surtiu Efeito !!!


A Fórmula 1 de 2009 seria finalmente a F1 das múltiplas ultrapassagens, certo ???

ERRADO...

Silverstone mostrou para nós hoje que as diversas mudanças que mutilaram a estética dos carros só serviram mesmo para deixar os carros mais feios. Um show de oportunidades no PELOTÃO INTERMEDIÁRIO foi oferecido para pôr à prova os efeitos causados pela redução da largura da asa traseira, pelo aumento excessivo da largura da asa dianteira e pela abolição dos penduricalhos aerodinâmicos e o que obtivemos como resultado foi praticamente nada. Não houve ultrapassagens nem quando o carro de trás era muito mais leve em relação ao da frente, nem quando os pneus eram macios em relação aos duros e, PASMEM, NEM QUANDO O CARRO DA FRENTE ESTAVA AVARIADO e o piloto a tentar a ultrapassagem era no caso o mais talentoso do grid (caso ocorrido com Nick Heidfeld que tinha parte da asa dianteira quebrada, estava bem mais pesado e mesmo assim não teve grandes dificuldades para segurar Fernando Alonso na primeira parte da corrida). Ganhar posição continua sendo possível mesmo somente nas estratégias de pit stop, na largada ou quando o carro que vai à frente escapa da pista por erro do piloto. Isso é muito ruim para o espetáculo porque, apesar de ser muito emocionante para quem guia ou para a equipe que acompanha volta a volta o ritmo de cada carro para ganhar posições em estratégias, para nós espectadores continua se repetindo corrida após corrida a velha procissão de carros velozes que se espalham pela pista.
Portanto, se as mudanças na configuração aerodinâmica vieram para trazer emoção através de disputas em pista o resultado é claro: NÃO SURTIU EFEITO !!!

Enquanto isso, vamos assistindo pilotos que ganham a corrida nos treinos classificatórios e que só precisam de duas coisas na corrida para ratificar a vitória: LARGAR BEM E SEGUIR A ESTRATÉGIA ADOTADA PELA EQUIPE. Esta situação te satisfaz como espectador ??? À mim, nem um pouco... VENCEDORES DA CORRIDA DE SILVERSTONE: EQUIPE RED BULL, ADRIAN NEWEY E CHRISTIAN HORNER... Ué, e o piloto ? Esse não importa, pois na Fórmula 1 da estratégia vencedora, piloto é um mero detalhe, basta guiar como robô.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Novo Post Pré Corrida: Inglaterra

Antes de apresentar os já famosos tópicos da coluna NOVO POST PRÉ CORRIDA, gostaria de apresentar minha total adesão à campanha exposta na foto de abertura: S.O.S - SAVE OUR SILVERSTONE... Afinal de contas o berço da Fórmula 1 não pode e não DEVE ficar sem uma corrida anual.
Recado dado, vamos aos tópicos:

1 - A IMAGEM:

FINALMENTE MOSS !!!
Em sua curta passagem como equipe na Fórmula 1, a Mercedes-Benz abocanhou quase todas as corridas dos dois campeonatos que disputou - 1954/1955 - com JUAN MANUEL FANGIO, que venceu incríveis 8 das 12 corridas que disputou defendendo as cores da montadora alemã. A marca alemã da estrela de três pontas venceria ainda uma corrida, e somente uma, com um piloto diferente: STIRLING MOSS. A corrida foi disputada na Inglaterra no dia 16 de julho de 1955, no antigo circuito de Aintree, e a foto mostra a reverência do amigo Fangio ao novo talento que surgia para a Fórmula 1 como que mostrando ao mundo: esse aqui será meu sucessor. A imagem torna-se ainda mais espetacular quando observamos o rosto imundo de Moss, cena típica de final de corrida dos primeiros anos românticos da Fórmula 1, onde os pilotos corriam com gorro de couro sobre a cabeça, óculos de proteção para os olhos e o resto do rosto completamente NU...


2 - A MINIATURA:

A miniatura temática da vez vai para meus amigos que sempre reclamam que eu só publico modelos da escala 1/18... Pois bem, para o GP da Inglaterra a miniatura do post é uma réplica na escala 1/24 do COOPER-CLIMAX T51 que ajudou Jack Brabham a vencer a corrida britânica do ano de 1959 em Aintree, no dia 18 de julho. O modelo é artesanal e foi confeccionado pelo modelista português FERNANDO PINTO com riqueza de detalhes e acabamento sofisticado. Um toque a mais de requinte pode ser observado na linda base de madeira envernizada - com placa identificadora - que acompanha a miniatura.


3 - O VÍDEO:

video

FOI AQUI ONDE TUDO COMEÇOU...

Silverstone, 13 de maio de 1950, nascia o CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS DE FÓRMULA 1...
Discorrer sobre este ÉPICO vídeo é heresia, não direi nada, deixemos que as sensacionais imagens gravadas toquem seus corações e mostrem, meus caros, o santuário que os malditos dirigentes da Fórmula 1 andam profanando...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Reflexo da Crise ? Qual delas ?

Um curioso fato tem chamado muito minha atenção neste peculiar ano de 2009 na Fórmula 1: a Brawn GP, equipe estreante, tem conseguido façanhas incríveis na história da categoria, tais como ganhar 6 de suas 7 corridas inaugurais, cravar sucessivas poles e melhores voltas, liderar o campeonato de forma tão arrasadora que não há nem vislumbre de alguém que possa ameaçar sua conquista... E apesar deste sucesso estrondoso, a equipe não consegue arrumar PATROCINADOR.
Meus caros, o que está acontecendo ?
Muitos dizem que a culpa é da crise financeira global, que as empresas estão contendo despesas e tudo mais... Será que é só isso ? Porque se pegarmos o exemplo de uma empresa completamente envolvida com o automobilismo no passado e que vive de vender lubrificantes para carros, a CASTROL, e observarmos que ela fechou um contrato milionário com um jogador de futebol dias atrás, dá para desconfiar que o problema não advém somente da crise de "cash".
Por sua vez, se analisarmos a crise institucional que a Fórmula 1 está vivendo com sua incerteza de regras, brigas internas entre dirigentes e equipes, indefinição quanto ao futuro, viradas de mesa constantes e etc podemos achar aí a razão verdadeira de tanto desinteresse em se investir na categoria.Quem vai querer injetar grana nesta bagunça completa que a Fórmula 1 se tornou ?
A Brawn GP segue quase tão nua quanto à da foto, sem anúncios significativos que gerem receita estampados em sua carenagem... REFLEXO DA CRISE ???

Qual delas? A crise financeira global ou a crise interna que os insanos responsáveis pela administração da Fórmula 1 criaram com sua intransigência e avassaladora inépcia ?

Eu fico com a segunda opção e você, o que acha ???

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Valeu a Pena ???


Interessante o rumo que a carreira de Rubens Barrichello tomou em 2009. O brasileiro fechou o ano de 2008 como o piloto mais longevo da história da Fórmula 1 pilotando o pior carro do grid, esperançoso de um melhor 2009 porvir. Chega dezembro e a equipe anuncia covardemente sua saída da Fórmula 1 deixando atônitos todos seus funcionários e pondo seu espólio à venda. Ninguém comprou. Dias antes de começar o campeonato deste ano a situação de Barrichello parecia caminhar a passos largos para a aposentadoria forçada, visto que nenhuma outra equipe tinha interesse nos serviços do brasileiro.
Bem, paremos a história nesse quadro de acontecimentos e verifiquemos a trajetória de Rubens até aqui:

- Barrichello seria eternamente lembrado por algumas façanhas na Jordan, seu aparecimento fulgurante e seu declínio desanimador em seguida. Dos tempos de Stewart veio a redenção de ser o artífice da ascensão de uma equipe modesta e estreante, mas na hora do ápice quem comeu a cereja do bolo foi o companheiro de equipe de Barrichello ao vencer a única corrida da história da equipe escocesa. Pobre Barrichello, vítima das circunstâncias... Daí veio a FERRARI, equipe de ponta, endinheirada e poderosa, passou a brigar constantemente pelo título a partir da reformulação trazida por Michael Schumacher, Jean Todt, Ross Brawn, Rory Byrne e cia ltda. Barrichello veio aportar seu veleiro justamente neste porto seguro onde poderia finalmente mostrar seu potencial, certo? Errado, Rubens passou vexames inesquecíveis sofrendo com ordens de equipe ridículas. De saco cheio de ser humilhado, teve peito para desprezar um ano de contrato com a casa de Maranello e investiu suas fichas em uma equipe em ascensão que lhe restituiria o status de piloto de verdade e não de um reles escudeiro. A equipe não vinga, vence apenas uma corrida nos três anos em que Barrichello correu por lá - novamente vítima das circunstâncias Barrichello assistiu esse único triunfo ser atingido por seu companheiro de equipe. Daí a trajetória da carreira de Barrichello chega ao ponto em que iniciamos o post, à beira da aposentadoria...

Pois bem, esquadrinhemos um resumido painel que mostra como Rubens seria lembrado pela sua carreira até aqui:

1° - A grande promessa do automobilismo brasileiro que sofreu muito por ter que carregar em seu início de carreira o pesado fardo de substituir o maior ídolo do automobilismo nacional ;

2° - Injustiçado e azarado piloto que sofre em carros pequenos e médios, consegue transformá-los em carros melhores e quando chega a hora de colher os frutos vê seus companheiros de time roubarem sua recompensa ;

3° - Escudeiro competente sempre privado de vencer em uma suposta "conspiração maléfica contra o brasileirinho" em tempos de Ferrari "mafiosa".

E este seria o cenário se Barrichello tivesse realmente aposentado no final de 2008.

MAS DAÍ SURGIU A BRAWN...

O carro bem nascido de Ross Brawn deu a Barrichello a oportunidade que ele sempre reclamou não ter tido em sua longa carreira: PILOTAR UM CARRO DE PONTA SEM SE PREOCUPAR EM SER ESCUDEIRO...

Corridas vieram e a Brawn demonstrou ser o carro do ano, praticamente imbatível. E neste contexto, onde se encontra Rubens Barrichello ? Não venceu nenhuma corrida, não fez pole position, é constantemente MASSACRADO por um companheiro de equipe que tinha vencido apenas uma vez na vida e já era dado como mais uma falsa promessa da Fórmula 1.
O campeonato avança, Button vence e brilha, Barrichello esbraveja, xinga, dispara contra a própria equipe e começa a criar um clima de preterido novamente, mas desta feita como sabe que não conseguirá convencer ninguém, se perde em declarações evocando a piedade alheia de uma forma tão pueril que beira à babaquice pura, vejam só:

"Tudo de ruim que acontece só acontece comigo, quando o carro quebra tem que ser na minha mão..."

Voltando ao mesmo exercício analítico que fizemos se a carreira de Barrichello tivesse acabado mesmo antes da Brawn, façamos uma nova análise com a atual situação:

1° - Barrichello pode até ter sofrido com a responsabilidade gigantesca de substituir Senna após sua morte, mas como BRAVOS E VENCEDORES SÃO AQUELES TÊM A CLARA VISÃO DO QUE TÊM PELA FRENTE, TANTO A GLÓRIA QUANTO O PERIGO, MAS MESMO ASSIM VÃO AO SEU ENCONTRO, não cabem aqui desculpas esfarrapadas para explicar o que quer que seja...

2° - Pegou um carro pronto, bem nascido e simplesmente não consegue suplantar nem de vez em quando seu companheiro de equipe, que nem gênio como Schumacher é...

3° - Deixou bem claro sua tendência de querer se justificar posando-se de vítima sempre que algo dá errado, disparando contra tudo e contra todos esquecendo-se que há duas maneiras de enfrentar situações adversas: sentar-se à beira da estrada chorando os próprios infortúnios ou enfrentar a vida com coragem lutando para suplantar os percalços que surgem...

Pois bem, colocando um termo à esta longa análise vejo que a tão sonhada oportunidade de guiar um carro vencedor com liberdade para vencer trouxe para Rubens Barrichello não a sua esperada redenção, mas sim a sua derrocada final, pois expôs a todos - até aos seus relutantes fãs - a realidade cruel: Barrichello é um bom acertador de carros mas apenas um piloto de razoável para bom, não tem perfil nem estrela de campeão, e, o pior de tudo, é um piloto mentalmente fraco que reclama de tudo mesmo quando a situação está lhe sendo favorável, em uma palavra: um chorão; que adora se fazer de vítima.

VALEU A PENA ENTÃO ESSE ANO DE 2009 PARA BARRICHELLO E SUA DESVENTURA BRAWNIANA ? Não teria sido melhor ter aposentado em 2008 e ter deixado no ar a impressão de que ele era bom mas injustiçado, ao invés da CERTEZA de que Barrichello é o que sempre suspeitávamos que ele fosse: UM PILOTO MÉDIO E UM BAITA DE UM CHORÃO !!!

domingo, 7 de junho de 2009

Alemãozinho bem mais ou menos


Sebastian Vettel surgiu na Fórmula 1 como aquela grande promessa de grande piloto, candidato a gênio. Conseguiu uma grande façanha em 2008 ao levar um carro apenas médio, o Toro Rosso (ex-Minardi), à pole position e à vitória no solo sagrado de Monza, feito que catapultou seu nome ao estrelato. Contratado pela Red Bull, equipe galgada à condição de grande no atual certame, venceu a primeira corrida da história dos touros vermelhos em solo vermelho, China. Então está confirmado, o alemãozinho é uma realidade ? É mesmo um gênio ?
Não, com certeza não é... E o GP da Turquia veio demonstrar isso, o tedesco repetiu em solo otomano erros e uma pilotagem titubeante que já havia cometido em outras corridas de 2009. Primeiro cedeu a liderança no início da corrida ao SUPER BUTTON, esse sim o grande piloto da atualidade (e pensar que li por aí - não me lembro onde - pouquíssimos meses atrás que "ninguém liga para Button", ah! nada como um dia após o outro), e depois com um carro super leve e muito mais rápido não teve competência de ultrapassar o inglês em uma pista que proporciona vários pontos para fazê-lo. Vettel fez cara de quem comeu e não gostou no pódio ao chegar atrás até de seu companheiro de equipe, e não podia ser diferente, pois foi o grande DERROTADO do dia.
Sebastian Vettel é novo e tem muito a aprender ainda, pode vir a se tornar o grande piloto que todos esperam que seja, mas diletante e muito suscetível à pressão de chegar ao topo como tem demonstrado ser, ele atualmente é apenas um piloto RAZOÁVEL... Galvão Bueno, que por incrível que pareça fez falta hoje durante a transmissão de hoje diante da ruindade exponencial desse tal de Cléber Machado (esse sim é PÉSSIMO), sempre martela nos nossos ouvidos que fazer bonito no pelotão intermediário é uma coisa, mas liderar um carro vencedor e suportar a pressão advinda dessa condição separa homens de meninos na Fórmula 1, sou obrigado a concordar com o locutor global e estou de olho em Vettel. Por enquanto ele está mais para MAIS ou MENOS, como o título da resenha, do que para confirmar a condição de ÁS da velocidade.
É aguardar para ver no que dá, e enquanto isso... Button desfila alegremente seu Brawn GP em cima das galinhas mortas que pilotam os carros que poderiam lhe ameaçar enquanto os verdadeiros ASES da velocidade - ALONSO, HAMILTON E MASSA - sofrem com seus carros ruins.

ESSA É A FÓRMULA 1 DE 2009, QUE MUITO MAIS SE ASSEMELHA À PASMACEIRA DE 2004 - UM DOS ANOS MAIS CHATOS DA HISTÓRIA DA CATEGORIA - DO QUE AO PROMETIDO ESPETÁCULO QUE AS MUDANÇAS NO REGULAMENTO TRARIAM...

A F1 REALMENTE MUDOU... PENA QUE FOI PARA PIOR...

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Novo Post Pré Corrida: Turquia


1 - A IMAGEM:


VOA FORCE INDIA !!!
Nada mais sugestivo para a decolagem de Fisichella após a largada da corrida da Turquia de 2008 do que seu patrocínio principal: FLY KINGFISHER !!!


2 - A MINIATURA:


Falar de GP da Turquia sem mencionar Felipe Massa soa como heresia...
Então destaquemos a linda miniatura que a HOT WHEELS RACING fez para comemorar o "tricampeonato" consecutivo do brasileiro na pista otomana, 2006-2007-2008. A escala do modelo é 1/18 e o primor com que foi feito pode ser obsevado na foto, LINDÍSSIMO. E como é de praxe nos modelos especiais que a marca faz para destacar determinados acontecimentos a miniatura vem acompanhada de uma base personalizada maravilhosa e um display sensacional que pode perfeitamente ser usado como pedestal decorativo.


3 - O VÍDEO:

video

Atendendo a pedidos, taí um dos tais vídeos demonstrativos que a ALLIANZ faz para os diversos circuitos around the world, logicamente que desta vez o circuito de Istambul é a estrela da vez