quinta-feira, 26 de julho de 2012

Post pré-corrida: GP da Hungria

Ufa!!! Nem deu tempo de absorver direito as emoções da Alemanha e lá vem o GP da Hungria e, para não perder o costume, semana que antecede corrida é semana de post pré-corrida. Vamos a ele então:

1 - A IMAGEM:

O reencontro de suserano e vassalo.
O ano de 2010 marcou o retorno Michael Schumacher à Fórmula 1 e a expectativa era enorme, muitos acreditavam até em título mundial, uma vez que o alemão guiaria a Mercedes MGP W01, carro que herdava toda a estrutura campeã do mundo de 2009 com o nome de Brawn GP. O ano foi passando e as expectativas se frustavam, pois nem um pódio sequer Schumacher conseguiu. No GP da Hungria, Schumacher reencontra seu antigo vassalo ferrarista Rubens Barrichello, que na época guiava um raquítico Williams FW32, e ambos disputavam a décima posição. Pela posição de pouco destaque disputada e pelas conquistas do passado poderia se imaginar um confronto morno, sem muita empolgação, mas o que se viu foi o que retrata a impressionante imagem escolhida como memória do post. Schumacher - defendendo a décima posição - espremeu tanto Barrichello que quase o fez raspar o muro da reta principal de Hungaroring, e o brasileiro, nem que fosse desta vez, devolveu em um só lance todos os anos de obediência forçada na Ferrari. Para nós, que adoramos uma boa disputa, foi um deleite, uma das manobras mais tresloucadas e acrobáticas da história da Fórmula 1. Sob o ponto de vista de Barrichello, a foto demonstra quão árdua a ultrapassagem se tornou. Barrichello foi corajoso demais.


2 - A MINIATURA:
                  
Com o ressurgimento de Jenson Button na última corrida , nada melhor do que homenageá-lo com a lembrança de sua primeira vitória na Fórmula 1, a bordo de um Honda RA106 no GP da Hungria de 2006. O modelo foi produzido pela MINICHAMPS na escala 1/18 e, para comemorar o primeiro triunfo de Button, a miniatura saiu do padrão normal utilizado, figura do piloto no cockpit com as mãos no volante, e trouxe a figura do piloto de pé com as mão na cintura ao lado do Honda vencedor. Ficou legal, mas teria sido mais interessante se a figura viesse com algum tipo de comemoração representado na figura. De qualquer maneira, a miniatura ficou muito bonita e, sendo de uma escala maior, seu efeito visual é chocante.  
   
                                       

3 - O VÍDEO:

video

O vídeo escolhido é de uma das maiores maldades da história da Fórmula 1 e aconteceu no GP da Hungria de 1997. Damon Hill, campeão do mundo de 1996 pela Williams, transferiu-se para a fraca equipe Arrows no campeonato de 1997. O time era pequeno, o motor Yamaha era fraco, mas o desenho aerodinâmico se mostrou bem sucedido em circuitos travados. Na Hungria Damon Hill conseguiu uma façanha espetacular ao alinhar seu Arrows na terceira posição do grid de largada. Façanha maior ele conquistou na corrida ao ultrapassar o Williams de Jacques Villeneuve e o Ferrari de Michael Schumacher, assumir a liderança e abrir INCRÍVEIS  40 segundos do segundo colocado, Jacques Villeneuve. A 3 voltas do final começa a maldade: Hill balança o carro freneticamente de um lado para o outro tentando, em uma medida desesperada e pouco eficiente, driblar um problema hidráulico que o fazia perder aceleração (o locutor até pensou se tratar de pane seca) e o tornava lentíssimo na pista, mas a vantagem era grande, todo mundo torcia por Hill até começar a última volta... assista ao vídeo e relembre...      

terça-feira, 24 de julho de 2012

GP da Alemanha Highlights - À la Jackie Stewart


O fato de Fernando Alonso ter vencido o GP da Alemanha de ponta a ponta em um campeonato de corridas tão disputadas e cheias de alternância na liderança poderia ser um sinal indicativo de que a corrida alemã foi monótona (reeditando as chatíssimas corridas de 2011), poderia... mas não foi. A corrida foi espetacular, mais uma vez, com disputas intensas e um inspiradíssimo Fernando Alonso controlando a liderança de maneira professoral. O espanhol deu uma aula a seus pupilos de como administrar no momento certo todas as nuances de uma corrida perfeita: um salto rapidíssimo na largada, aceleração máxima para abrir vantagem de seus oponentes, controle absoluto da distância aberta para o segundo colocado dosando o desgaste dos pneus. Em momento algum da corrida os segundos colocados, ora Sebastian Vettel ora Jenson Button, vislumbraram a possibilidade real de assumir a liderança, diminuíam a diferença, até se aproximavam bastante, mas ao confrontar Alonso para tentar uma manobra de ultrapassagem (mesmo utilizando o DRS diversas vezes) este parecia "estilingar" seu carro de forma ultraveloz minando as esperanças dos vice-líderes. Alonso conseguiu mostrar aos espectadores mais jovens como se faz uma corrida maravilhosa sem envolver manobras acrobáticas, como ele mesmo fez em Valência, e reviveu os dias de Jackie Stewart que era um mestre neste tipo de vitórias.  Do que jeito que está guiando, relembrando sempre os maiores ases da velocidade, em Valência lembrou Senna , cavalgará seu cavalo rampante majestosamene rumo ao título pisoteando impiedosamento os touros vermelhos.

GRANDE FERNANDO "STEWART" ALONSO !!!

Foram destaques também do grande prêmio tedesco:

1 - RESSURGIMENTO DE BUTTON:
                 

Até que enfim Button fez uma boa corrida. Depois de vencer a corrida inaugural do atual certame, o inglês apresentou um desempenho horrível, que nada faz lembrar sua grande competência como piloto suave ao tratar do carro e agressivo na disputa por posições. Em Hockenheim porém, Button voltou a ser grande, fazendo belas ultrapassagens foi galgando posições até chegar ao terceiro posto e, a partir daí, soube fazer bom uso de uma grande estratégia bolada por sua equipe e ultrapassou o Red Bull de Sebastian Vettel após a segunda rodada de pit stops. Muitos acreditavam até em vitória, pois Button chegou à posição de ataque contra Fernando Alonso, mas o espanhol estava impecável e não possibilitou a redenção apoteótica de Button. 

2 - EQUIPE McLAREN:
        
2.31 segundos para trocar os quatro pneus de Button em sua segunda parada de boxes... RECORDE INCRIVELMENTE ABSOLUTO na história da Fórmula 1. Depois de tantos erros cometidos em pit stops recentes, a Mclaren se redimiu quebrando o recorde de troca de pneus. A manobra foi preponderante para que Button ganhasse a segunda posição.

3 - QUEDA DE BRAÇOS: FIA X RED BULL: 
   
A FIA - Federação Internacional de Automobilismo - tentou impor sanções à equipe Red Bull poucas horas antes do início da corrida por ter descoberto irregularidades no mapeamento do torque dos motores da equipe austríaca. Não conseguiu por causa da forma como o regulamento está redigido, ou seja, por causa de um erro na redação do texto do regulamento uma equipe foi absolvida de punições - que poderiam ser até exclusão da corrida - mesmo estando fora das especificações técnicas exigidas pela FIA. Liberados, os Red Bull ilegais largaram, e aí, por força do destino, eis que o melhor colocado deles, o número 1 de Sebastian Vettel faz a ultrapassagem da foto acima (clique nela para melhor visualização) utilizando a área de escape asfaltada para ganhar a segunda posição de Jenson Button. A FIA, que por força de uma má redação teve que engolir a presença dos Red Bull no grid, viu nesta manobra a chance se vingar e puniu Vettel com o acréscimo de 20 segundos ao seu tempo final, fazendo-o despencar da segunda para a quinta posição no resultado final da corrida. O curioso é que em 2003 Michael Schumacher, a bordo de um Ferrari, fez a mesma manobra para ultrapassar o Renault de Jarno Trulli e nada aconteceu... 
Na queda de braços entre FIA e Red Bull, a equipe austríaca saiu ganhando ao poder alinhar seus carros ilegais no grid, mas a FIA deu um golpe final restrigindo este ganho. Capítulos novos deste embate ainda se seguirão...  

4 - DUPLA DA SAUBER:
          
Kamui Kobayashi e Sergio Perez foram magistrais na corrida alemã. Prova concreta de que pilotos arrojados quando sabem dosar sua agressividade podem muito bem fazer múltiplas ultrapassagens sem atropelar ou abalroar seus adversários. Talentos como os de Kobayashi e de Pérez, se bem lapidados, podem render os bons frutos necessários para levar a competente equipe Sauber a um lugar de destaque no final da temporada.


SUGESTÃO PARA MINIATURA: McLAREN

O novo pacote aerodinâmico inaugurado pela Mclaren no GP da Alemanha é a sugestão para confecção de uma futura miniatura pois o carro ficou muito bonito, sem o anti-estético bico utilizado pelas outras escuderias do grid, e com algumas charmosas aletas aerodinâmicas situadas sobre as entradas de ar laterais do carro (clique nas fotos para melhor visualização). Para os mais detalhistas uma diferença também pode ser notada no aerofólio traseiro: saiu o costumeiro LUCOZADE e entrou a inscrição MAXIMUSCLE. 


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Post pré-corrida: GP da Alemanha

 Para quem não conhece, trata-se de um post que revive momentos de corridas passadas no país específico onde ocorrerá o próximo GP, uma pequena prévia para ir aquecendo os motores de nossa emoção. O post conta sempre três histórias distintas usando para tal UMA IMAGEM, UMA MINIATURA e UM VÍDEO de fatos alusivos ao GP. Explicações dadas, vamos ao post:


1 -A IMAGEM:


Ano de 2010, retorno de Felipe Massa às competições após o acidente sofrido em Hungaroring em 2009. O GP da Alemanha daquele ano marca o melhor desempenho do brasileiro após seu retorno às pistas, Massa liderava a corrida - à frente do segundo colocado Fernando Alonso - quando na quadragésima nona volta, Rob Smedley brada no rádio: "FERNANDO ESTÁ MAIS RÁPIDO QUE VOCÊ ! VOCÊ PODE CONFIRMAR QUE ENTENDEU A MENSAGEM?" , ou seja: permita que seu companheiro de equipe o passe porque ele é mais importante para a Ferrari do que você. O triste episódio do último GP da Alemanha em Hockenheim - em 2011 a corrida foi disputada em Nürburgring - foi escolhido como imagem a ser lembrada do post não pelo fato vergonhoso cometido pela Ferrari, e sim pelo bom humor com que foi tratado pelo site: www.formulatoons.com , que confeccionou duas camisetas, uma com a covarde ordem de equipe traduzida na frase: FERNANDO IS FASTER THAN YOU e a outra ridicularizando a equipe Ferrari através de um cavalinho pangaré sorrindo sem graça e dizendo: EU SOU RIDÍCULO. As camisetas podem ser adquiridas pelo site supra citado e representam uma perspicaz forma de protesto contra as falcatruas mafiosas da Ferrari.
            
2 - A MINIATURA:


A SPARK MODELS eternizou o GP da Alemanha de 1954 - disputado em Nürburgring - com um diecast impressionante de seu vencedor Juan Manuel Fangio a bordo de um Mercedes W196. O que mais impressiona na miniatura é sua extrema riqueza de detalhes em uma escala tão diminuta: 1/43 (clique nas imagens para melhor visualização). 



3 - O VÍDEO:

video

O primeiro grande susto de Ayrton Senna na Fórmula 1: GP da Alemanha de 1984. Senna comenta no vídeo o susto que passou no antigo traçado de Hockenheim - na parte da floresta - logo após a perda do aerofólio traseiro de seu frágil Toleman - Hart TG 184 no comecinho da corrida.  


Boa corrida para todos nós e QUE DEUS NOS AJUDE PARA QUE FALCATRUAS FERRARISTAS NÃO SE REPITAM !!!    

Créditos:
Foto 1: Finalverdict
Foto 2: Formulattons.com
Fotos 3, 4 e 5: Diecastlegends.com
Vídeo: Youtube/tiagoitapolo


segunda-feira, 16 de julho de 2012

Encontro com o ídolo


Minha paixão pela Fórmula 1 começou por influência do meu pai, lembro-me vagamente de ele ligar a sua grande televisão preto e branco Telefunken na década de 1970 para assistir às corridas torcendo por um tal de Emerson Fittipaldi, vagamente eu disse porque lembra-se pouco de fatos quando se tem 3, 4 ou 5 anos. O tempo passou e chegou o ano de 1981, já contava com meus 7 anos, e a partir daí as lembranças já são  maiores. Neste ano passei a assistir frequentemente o campeonato mundial de Fórmula 1 e a doença inoculada por meu pai se alastrou em meu íntimo de tal forma que passei a largar tudo o que fazia para ver as corridas. Lembro-me que certa vez fui ao sítio de meu amigo Henrique num domingo quente e ensolarado, fato raro na gelada cidade que eu morava na época ( Barbacena - MG ), e nos divertíamos muito com outros amigos jogando bola, brincando de pique e, o melhor de tudo, nadando - nadar em Barbacena era uma atividade que dava para fazer alguns poucos dias no ano de tão fria que a cidade era. E, neste dia, tinha uma corrida que seria transmitida à tarde, o GP do Canadá. Com promessas de que eu assistiria integralmente à corrida fui ao sítio, muito distante da cidade, despreocupado. Depois de muito brincar, chegou a hora do almoço e deparei-me com um verdadeiro banquete: frango assado com macarrão, feijão tropeiro, arroz à grega, batata frita, farofa e, para a alegria das crianças, sobremesas diversas: pudim, cajuzinho, brigadeiro, doces de leite e de figo (o meu preferido). Tudo muito bom, estava eu plenamente satisfeito até a hora que ligaram, a meu pedido, a televisão. Assim que a ligaram a felicidade transformou-se em pavor ao constatar que tudo o que a malfadada anteninha comum - na época não havia parabólicas ou TV por assinatura - pegava era "chuvisco" e chieira. Foi um tal de gira antena para cá, roda a antena para lá e......... NADA !!!  O pavor transformou-se em desespero e insistentemente implorei para me levarem embora para eu assistir à corrida. Ninguém entendia o motivo de eu querer largar todo aquele lazer para assistir a uma simples corrida, mas, a muito contragosto, me levaram para casa. Chegando em casa encontrei meu pai já se preparando para a transmissão e o pai de um dos colegas que me trouxe relatou toda a história e a minha histeria para ele. Meu pai caiu na gargalhada e respondeu assim a seu interlocutor: "Esse aí só perde uma corrida se for preso".
Pois bem, a história juvenil narrada só serve de pano de fundo para dar uma noção da importância que a Fórmula 1 passou a ter em minha vida. E toda essa importância acabou sendo personalizada em um nome: NÉLSON PIQUET. Em 1981 Piquet estava no auge da pilotagem e foi forte o suficiente para levar seu mediano Brabham BT 49 ao terceiro título brasileiro na F1. Após o GP dos Estados Unidos, corrida que decidiu o certame, meu pai me pegou em seu Passat LS cinza para dar uma volta pela cidade e, em meio a um buzinaço, começamos a desfilar em uma improvisada e enorme carreata que nos levou vagarosa e festivamente à rua 15 de novembro - principal rua de Barbacena - chegando lá olhei para cima e vi uma chuva de papel picado caindo dos prédios cheios de bandeiras do Brasil e de gente vibrando muito com o título, o clima era de final de copa do mundo. As imagens da comemoração ficaram marcadas para sempre em minha memória, a partir daí eu tive meu primeiro ídolo esportivo de infância: NÉLSON PIQUET. O tempo passou, a admiração foi crescendo na medida em que Piquet brilhava nas pistas do mundo e a imagem de ídolo foi sendo cada vez mais cristalizada em minha mente.
Chega o ano de 2010, o evento de antigomobilismo BRAZIL CLASSICS acontece em Araxá (MG) no meio do ano e, como carro antigo é outra de minhas grandes paixões, lá estou prestigiando o evento (posts serão feitos em uma série especial brevemente) quando me deparo com quem ? Ninguém menos que o meu ídolo de infância... Por um breve momento, como em um filme, todos os bons momentos de vibração passaram na minha mente: os três campeonatos, as vitórias, as corridas em Jacarepaguá e em Interlagos que assisti nos autódromos. Com grande emoção pedi ao tricampeão para tirar uma foto com ele e rapidamente o agradeci por todas as conquistas e alegrias proporcionadas aos brasileiros. O encontro foi rápido, porém inesquecível, e para celebrar o acontecimento tratei de imortalizá-lo ao fazer uma camiseta silkada com a foto e as inscrições: PIQUET, ÍDOLO ETERNO (foto abaixo, clique para aumentar).
                                

Oportunidades como essa são raríssimas, às vezes acontecem uma vez na vida, confesso que fiquei um pouco envergonhado de bancar o tiete, mas encontrar um ídolo de infância não tem preço...

OBRIGADO NÉLSON, O ÍDOLO ETERNO DA FÓRMULA 1 !!!

sábado, 14 de julho de 2012

Vai uma "motinha" aí ?


O leitor Rodrigo Caminitti mandou por e-mail a seguinte sugestão: 

Rally dos Sertões: Concurso na página oficial do rali no Facebook dá uma moto Honda 0km
Concurso cultural tem início nesta sexta-feira é mais uma novidade para a comemoração dos 20 anos do rali. Post mais criativo leva uma moto Honda XL 700V Transalp
Gravar um vídeo, tirar uma foto ou simplesmente criar uma frase e postar na Linha do Tempo do Facebook oficial do Rally dos Sertões (http://facebook.com/sertoesoficial). É isso que os participantes do concurso “Quem ganha é você” devem fazer para concorrer a uma moto Honda XL 700V Transalp, que a Dunas Race – organizadora do maior rali dentro de um único país - está oferecendo para comemorar o 20º aniversário da competição.
A ação acontece a partir desta sexta-feira, dia 6 de julho e vai até 10 de agosto (16 horas). O resultado será divulgado a partir do dia 25 de agosto na própria página do rali no Facebook. O concurso será feito exclusivamente pelo Facebook e os interessados devem publicar o seu vídeo, foto ou mensagem no perfil oficial do Rally dos Sertões em resposta à pergunta: “Qual foi a maior aventura da sua vida nos últimos 20 anos?”. Leva o prêmio a mensagem mais criativa e original.
O prêmio ao vencedor será uma moto Honda XL 700V Transalp. Uma moto confortável, ágil e com um ótimo desempenho para qualquer situação. A moto tem potência máxima de 60cv, partida elétrica, câmbio de cinco velocidades, tanque com capacidade para 17,5 litros e valor estimado em R$ 30 mil.
Confira o regulamento completo do concurso no link: http://ow.ly/c4e92
O Rally dos Sertões acontece entre os dias 18 e 29 de agosto de 2012. Neste ano a largada será de São Luís, no Maranhão, e a chegada em Fortaleza, no Ceará.
Acesse o Rally dos Sertões no Facebook:http://facebook.com/sertoesoficial

Siga o Sertões no Twitter:
www.twitter.com/sertoesoficial

YouTube - Canal Rally dos Sertões:
www.youtube.com/dunasrace


Taí, recado dado, mãos à obra então, pessoal.

Obrigado, Rodrigo, pela valorosa colaboração.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Tributo ao Dia Internacional do Rock - por Cássia Malheiros


Hoje, dia 13 de julho, comemora-se o DIA INTERNACIONAL DO ROCK AND ROLL, e para prestar um singelo tributo à trilha sonora perfeita da maioria dos bons momentos da minha vida, convidei a rockeira CÁSSIA MALHEIROS, que com seu poder de síntese ideal, conseguiu traduzir em poucas palavras o sentimento estonteante que o velho e maravilhoso rock nos causa. 
 
Com a palavra MISS CÁSSIA:

"Hoje é um dia muito especial. Especial para os apreciadores do ritmo que vem envolvendo gerações durante décadas: DIA INTERNACIONAL DO ROCK. E eu, como grande admiradora deste som que inebria a alma, contagia o espírito e ilumina a vida, não poderia deixar passar despercebido tal momento.
O Rock não é só um ritmo musical, é uma manifestação cultural de diferentes momentos e contrastes que a sociedade evoluiu. Seja para demonstrar qualquer sentimento, não há de se falar que uma pessoa nunca se sentiu nem um pouco atingido por essa batida mais que democrática.
Teve sua  inspiração no country  e unia um ritmo rápido com pitadas de música negra do sul dos EUA, depois foi embalado pela guitarra elétrica, baixo e bateria. Bill Haley, Chuck Berry , Little Richard e ninguém mais que Elvis Presley tiveram papel marcante para que esse ritmo fosse difundido. Esses gênios acabaram influenciando muitas pessoas e inspiraram a formação da banda de maior sucesso de todos os tempos: THE BEATLES.
E daí em diante, o Rock tomou repercussão mundial, invadindo a vida das pessoas e, como uma doença, contagiou a todos os que estavam sedentos por mudanças. Nomes marcantes surgiram a partir daí e o Rock tem acompanhado toda essa transitoriedade  temporal.
Enfim, poderia ficar um dia inteiro discorrendo sobre esse assunto que tanto adoro, mas vou ser breve e dizer com todo o coração: VIDA LONGA AO ROCK e a todos aqueles que fazem dele o seu hino de amor a vida."

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Coluna do Leitor: O filme Grand Prix, por Celso Daniel Silva


De volta ao blog uma coluna muito especial: a COLUNA DO LEITOR. Um espaço destinado a divulgar e-mails interessantíssimos que recebo e compartilhar com todos as opiniões, sugestões e colaborações dos leitores do blog. A coluna traz hoje um breve e delicioso depoimento do cinéfilo Celso Daniel Silva sobre o excelente filme GRAND PRIX:


"Caro Alexandre:

Em seu blog encontrei vários comentários sobre o filme "Grand Prix". Grande espetáculo, principalmente para mim que tive o privilégio de assistir lá no lançamento, no Cine Majestic-Cinerama em São Paulo, em 1966, por duas vezes no período de um mês.
Só quem lá esteve pode avaliar o grandioso evento cinematográfico. Imagens perfeitas em película no formato Super Panavision 70 mm. Seis canais de som estrategicamente distribuídos na sala, dando de dez a zero nos cinemarks da vida.
Nas sequências das corridas, quando as câmeras mostravam na visão do piloto naquela velocidade vertiginosa, tínhamos que segurar no espaldar das poltronas, nas curvas, para não "cair". Foi muita emoção. Tenho aqui uma cópia com dois dvds que não me canso de rever. Tenho informações que saiu recentemente  em blu-ray, entretanto, como não possuo o player, ainda não adquiri. Com certeza, valerá a pena fazê-lo. Sou um cinéfilo desde a juventude, residente no interior de São Paulo, hoje com 66 anos.

Grande abraço, 

Celso." 

Pois é, Celso, se você teve o enorme privilégio de presenciar tão grandioso evento, nos proporcionou também um privilégio ao compartilhar conosco tão valioso depoimento, mas que nos matou de inveja, isso matou. Muito obrigado pela valorosa colaboração. 

domingo, 8 de julho de 2012

GP da Inglaterra Highlights - O canguru desafiador


Mark Webber venceu o GP da Inglaterra hoje, nona etapa do campeonato mundial de Fórmula 1, com uma ultrapassagem em cima do grande xodó das torcidas ao redor do mundo, Fernando Alonso, no finalzinho da corrida. Alguns fatores atenuantes poderiam ser levados em contas na tentativa de diminuir a importância da vitória de Webber, como: o magnífico carro da Red Bull - que depois das atualizações feitas por Adrian Newey sacramentou sua liderança entre os melhores carros do ano - e o brilhante staff técnico rubro-taurino  por trás do australiano, que organizou uma estratégia perfeita preparando o "pulo do gato" para alcançar a liderança no final da corrida. Mais ainda, poderiam salientar alguns: a ultrapassagem foi concretizada usando o DRS, o que facilitou demais a manobra. Tudo isso é verdade, mas, mesmo assim, o componente humano (no caso a pilotagem de Webber) foi preponderante na concretização da manobra fatal, arrojada e precisa, contra um aguerrido Fernando Alonso que vendeu caro a vitória. Mark Webber foi em Silverstone o que normalmanente não é: mentalmente forte.
Agora resta saber se Mark Webber, capaz de protagonizar uma grande vitória hoje - não foi histórica ou épica, mas foi grande - está preparado para manter o foco mental necessário para enfrentar o gigantesco desafio de lutar pelo título contra dois grandes monstros no quesito força mental: Fernando Alonso e Sebastian Vettel.

O GP da Inglaterra corroborou hoje a marca registrada da nova e prazerosa Fórmula 1 de 2012: O ESPETÁCULO. Foi uma grande corrida, deliciosa de assistir com grandes disputas por posições desde seu início até o final. Pilotos arrojados disputaram freadas milimétricas até as últimas consequências em todos os pelotões do grid, momentos-pastelão que integram o show foram protagonizados pelo excesso de vontade dos Maldonados e Kobayashis da vida e, muito, MUITO GLAMOUR se viu em Silverstone hoje, quesito que não poderia faltar no solo sagrado da realeza mais famosa do mundo. Listemos, a seguir, outros destaques da corrida, além do brilhante vencedor é claro:

1- EQUIPE RED BULL:        
 
Extremamente competente, foi responsável direta pelo pódio de Sebastian Vettel, pois, na primeira rodada de pit stops, o fez ganhar, antecipando sua troca de pneus, as posições de Felipe Massa e Michael Schumacher, que se engalfinhavam na pista àquela altura dos acontecimentos.


2 - FELIPE MASSA:

Até que enfim uma corrida consistente, que o levaria ao pódio se não fosse a competência estratégica da equipe Red Bull. Há que se ressaltar a "SENHORA" ultrapassagem sobre Michael Schumacher no início da prova, arrancando dele, na marra, a terceira posição. 


3 - BRUNO SENNA:

Grande batalha com Nico Hülkenberg no final da corrida pela nona posição, vencida com a gana peculiar de quem carrega o sobrenome Senna.


4 - PÚBLICO:

Mais de CEM MIL ENTUSIASMADOS TORCEDORES lotaram as dependências de Silverstone no mesmo DIA E HORÁRIO em que um BRITÂNICO disputava a final do torneio de tênis mais importante do mundo, Wimbledon, fato que não acontecia fazia mais de 70 ANOS. 


Para finalizar, em todo post pós-corrida, a partir deste, deixarei uma SUGESTÃO PARA MINIATURA, ou seja, um fato ou um carro especial do próprio GP que poderia ser eternizado através da confecção de uma miniatura colecionável em diecast. Para o GP da Inglaterra as sugestões são duas:

1 - RED BULL: não pela vitória de Webber, mas sim pelo sensacional layout adotado na corrida britânica por causa de sua campanha beneficente "Faces of charity", mais informações clique aqui. A colagem de fotos dos colaboradores da campanha ficou ESTUPENDAMENTE BELA (clique nas fotos para melhor visualização) e o desafio para miniaturizar o momento seria gigantesco, mas eu adoraria ver alguém se propondo a aceitá-lo.   


 

 



2 - LOTUS: o layout dos Lotus não ficou tão belo quanto o da Red Bull, mas a adoção do patrocínio do novo filme do Batman nas laterais dos carros de Grosjean e Räikkönen deixou-os bem mais interessante (clique nas fotos para melhor visualização). É um trabalho relativamente fácil de realizar para um modelista experiente e ficaria uma miniatura BEM LEGAL.  









FOI MAIS UM GRANDE FINAL DE SEMANA DA ESPETACULAR FÓRMULA 1 DE 2012, DIGNA DO SOLO SAGRADO QUE A VIU NASCER.


quinta-feira, 5 de julho de 2012

Post pré-corrida: GP da Inglaterra




O GP da Inglaterra marca o retorno do blog à coluna POST PRÉ-CORRIDA. Para quem não conhece, trata-se de um post que revive momentos de corridas passadas no país específico onde ocorrerá o próximo GP, uma pequena prévia para ir aquecendo os motores de nossa emoção. O post conta sempre três histórias distintas usando para tal UMA IMAGEM, UMA MINIATURA e UM VÍDEO de fatos alusivos ao GP. Explicações dadas, vamos ao post:

1 - A IMAGEM:


Sempre ouvimos falar na expressão gol de placa quando um tento futebolístico atinge um alto grau estético porque convencionou-se a celebrar tal feito, algumas vezes, imortalizando-o com uma placa em sua homenagem. Os ingleses resolveram prestar o mesmo tipo de homenagem à genial volta inicial de Ayrton Senna em Donington Park no ano de 1993, isto é, inventaram para a Fórmula 1 uma VOLTA DE PLACA (clique na foto para melhor visualização). Os mais eruditos no automobilismo poderiam denunciar como uma gafe minha ao apontar esta imagem como memória do GP da Inglaterra, uma vez que a corrida da pista de Donington em 1993 foi batizada de GP da Europa. Entretanto, permito-me incorrer neste pequeno "deslize" mesmo assim, afinal de contas quando é que teremos novamente um lance da Fórmula 1 eternizado em uma placa?


2 - A MINIATURA:

                                                                  

A miniatura escolhida relembra um fato histórico: a primeira vitória da Scuderia Ferrari na Fórmula 1 com o argentino José Froilán González em 1951. A miniatura representa um diorama que mostra, além do Ferrari 375 F1, as figuras do "Touro dos Pampas" (alcunha de González na Europa) e do Commendatore Enzo Ferrari. Sua base traz ainda uma simulação da pista de Silverstone (com cerca de proteção e canteirinho estilizados) e duas belas placas de metal contendo as assinaturas de González e de Frederic Stuber, artista que confeccionou o lindo diorama (clique na foto para melhor visualização de seus ricos detalhes).
A escala do diorama é 1/43 e a melhor notícia vem agora: PODE SER ADQUIRIDO, clique aqui para maiores informações: http://www.preciolandia.com/br/suber-fred-ferrari-375-f1-british-gp-195-3q7xs6-a.html

3 - O VÍDEO:

video

Já que no último post exaltamos a capacidade de pilotos espetaculares conseguirem superar os limites de seus carros, nada melhor para ilustrar essa rara habilidade do que dar uma olhada neste vídeo que mostra o que Ayrton Senna foi capaz de fazer com um Lotus-Renault de 1985 AVARIADO (desde o início do vídeo o negro bólido enfrentava sérios problemas elétricos) contra o melhor carro do grid, o Mclaren-Tag Porsche do piloto que se sagraria campeão do mundo em 1985, Alain Prost.


Créditos:

Foto 1: magnaen.deviantart.com
Foto 2: Paul Reynolds 
Foto 3: preciolandia.com
Vídeo: Youtube;

terça-feira, 3 de julho de 2012

Um dia de Senna


Como a Fórmula 1 de 2012 está espetacular ! Uma temporada pautada pelo equilíbrio entre os carros onde os pilotos, finalmente, estão fazendo a diferença nos resultados. E quando o piloto faz realmente a diferença, um nome surge como destaque: Fernando Alonso.É espantoso o que este espanhol tem feito até agora com um carro tão inferior às Red Bull, Mclaren, Lotus e Mercedes ( e em algumas corridas até às Williams): líder do campeonato, único piloto do grid a vencer mais de um GP, marcou pontos em todas as etapas, impõe acachapantes 100 pontos de diferença em cima de seu companheiro de equipe e disfere uma humilhante goleada de 8x0 em posições de largada contra Felipe Massa. Estatisticamente perfeito para o carro apenas mediano que possui.

Mas, como o esporte elege seus heróis mediante a capacidade de espetáculo que ele são capazes de proporcionar e não aos frios vencedores da estatística, Alonso conquistou definitivamente sua merecidíssima posição no panteão das lendas da F1 em Valência, oitava etapa do mundial de F1. Com a garra dos fortes, a habilidade dos gênios e a estrela dos campeões, Alonso fez uma corrida espetacular desde a largada, saindo de um modestíssimo décimo primeiro lugar, e foi conquistando na manha e na marra várias ultrapassagens belíssimas (sem contar com o auxílio da asa móvel) até chegar na segunda posição. Sebastian Vettel, líder até momento, fica pelo caminho e a inimaginável liderança cai nas mãos de Alonso, que passa a administrar com maestria as estocadas das fortes Lotus, primeiramente de Romain Grosjean e, posteriormente, de Kimi Räikkönen.

Ponto final de uma vitória inesquecível de Fernando Alonso, CERTO ?

Para surpresa de todos nós... ERRADO !!!

TINHA MAIS: 

O show continua quando Alonso resolve viver UM DIA DE SENNA completo pois, além de ter feito uma corrida impossível, pega uma bandeira espanhola das mãos de um comissário de pista, desfila com ela em punho e, poucos metros depois, estaciona o mediano Ferrari diante de seu ensandencido público para comemorar efusivamente seu triunfo. E o que seria um triunfo meramente esportivo se transformou num ato de verdadeiro soerguimento de toda a nação espanhola, tão combalida pela grave crise econômica que atravessa atualmente (exatamente como Ayrton fazia em tempos de Brasil hiperinflação e super miséria):


E, para finalizar, o pódio... AH, QUE PÓDIO !  Um Alonso emocionado se desmancha em lágrimas diante do turbilhão de sentimentos vividos em Valência.
 

PARABÉNS A FÓRMULA 1 ATUAL QUE PRIVILEGIA OS VERDADEIROS PROTAGONISTAS DE SEU GRANDIOSO ESPETÁCULO: OS PILOTOS !!!

PARABÉNS A FERNANDO ALONSO QUE VAI PODER CONTAR PARA SEUS FILHOS E NETOS UM DIA: MENINOS, VIVI UM DIA DE AYRTON SENNA !!!