sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Mais belos carros by F1 RACING - os 7 carros que empataram na quadragésima segunda posição

Mais sete carros desfilam hoje pelo blog sua beleza segundo o gosto da revista F1 RACING, são os que empataram em número de votos na quadragésima segunda posição. Com o avanço das posições os posts tem ficado mais longos, por isso pode ser que esses 7 carros não caibam na página principal e, se isso ocorrer, é só chegar no final da página e clicar em POSTAGENS MAIS ANTIGAS que outra página se abrirá contendo o(s) carro(s) restante(s).

#42 - Renault RE20B - 1980/1981


DESIGNER: Michel Tetu
PILOTOS: René Arnoux, Jean Pierre Jabouille, Alain Prost
Vitórias: 3
Poles: 5
M.volta: 4
Pontos: 44

A Renault finalmente começaria a incomodar a supremacia dos motores Cosworth em 1980 com seu novo modelo RE20B, e mesmo não contando com um grande piloto conseguiu vencer três vezes em uma temporada extremamente equilibrada. Com a chegada de Alain Prost, a Renault
firmaria-se definitivamente como uma grande força da F1 em um futuro bem próximo e calaria a boca dos críticos de seu revolucionário projeto de motorização turbinada.
Pena para eles que havia uma pedra no caminho para o sucesso pleno (que só viria vinte e tantos anos depois) ... o nome dessa pedra: Nélson Piquet.

#42 - Lotus 78 - 1977/1978


DESIGNER: Ralph Bellamy
PILOTOS: Mario Andretti, Ronnie Peterson, Gunnar Nilsson, Hector Rebaque
Vitórias: 7
Poles: 9
M.volta: 7
Pontos: 106


Revolucionário Colin Chapman sempre foi, mas o Lotus 78 reservaria uma surpresa que nem o mago Chapman poderia imaginar:
"Quando Peter Wright notou que os patrocínios de combustível laterais de seu Lotus 78 estavam sendo sugados para baixo no túnel de vento, disse a Colin Chapman - e então nasceu o compreensível efeito-solo". - descrição da REVISTA F1 RACING.

E precisa dizer mais alguma coisa ou só essa "invençãozinha" basta?


#42 - Ligier JS11 - 1979


DESIGNER: Gerard Ducarouge
PILOTOS: Jacques Laffite, Patrick Depailler, Jacky Ickx
Vitórias: 3
Poles: 4
M.voltas: 3
Pontos: 61

No início da temporada de 1979 os carros da Ligier começaram a massacrar seus adversários ganhando as duas primeiras corridas, com direito a dobradinha no GP do Brasil. Muitos afobados já temiam uma nova supremacia, maior até do que a da Lotus em 1978. E foi justamente quando todos já previam - principalmente a imprensa - um suposto passeio dos carros franceses que Emerson Fittipaldi deu um profético e inteligentíssimo depoimento:

"... a explicação para o sucesso tão rápido do carro envolve uma certa dose de sorte: eles conseguiram uma combinação mecânica-aerodinâmica perfeita, coisa que é raro acontecer. Hoje, a superioridade dos Ligier é maior do que a da Lotus na temporada passada. E, o que mais impressiona: eles conseguiram essa superioridade com um carro simplíssimo, de construção até rústica. Por baixo, ele tem até barras e tubos aparecendo, coisa que não acontece nos melhores carros. Isso, acho, vai permitir que os demais se equiparem a ele mais rapidamente: para copiar os Lotus era difícil, de tão sofisticados, mas copiar os Ligier é fácil, pois são supersimples, pouquíssimos sofisticados. Isso, em outras palavras, quer dizer que o campeonato ainda não está decidido: os novos carros, que estrearão até o GP da Espanha, vão dar muito trabalho aos franceses."


Acho que Fittipaldi não podia imaginar quão proféticas seriam suas palavras, pois depois do GP do Brasil toda a superioridade dos bólidos franceses que a sempre tão afobada imprensa alardeava foi reduzida a pó pelas Ferrari e Williams, que venceriam 11 das 13 corridas restantes do campeonato. Mas um fato é indiscutível: a beleza do JS11, o carro é tão belo que seus kits de montagem na escala 1/20 são campeões de venda há muito tempo entre os plastimodelistas e colecionadores. Uma pena que ainda não existe diecast na escala 1/18 desse carro... senão já teria adquirido um.

#42 - Brabham BT46/B - 1978/1979


DESIGNER: Gordon Murray
PILOTOS: Niki Lauda, John Watson, Nélson Piquet
Vitórias: 4
Poles: 2
M.volta: 4
Pontos: 59

O Brabham BT46 causou grande expectativa no mundo da F1 no início de 1978 por prometer um pacote de inovações nas quais destacava-se o uso de freios de fibra de carbono, a introdução da telemetria carro-boxes e um complexo pacote aerodinâmico que visava bater os excelentes Lotus 79 de efeito solo. Gordon Murray ao perceber que o carro era bom, mas não tão eficaz para bater a Lotus, incorporou uma idéia de sucção mecânica colocando na traseira do carro um ventilador de sucção Chaparral, estava criado o BT46B mais conhecido como FANCAR (carro ventilador em inglês), veja a foto abaixo (clique para ampliar):


O BT46B estreou no GP da Suécia e levou o recém contratado Niki Lauda à vitória mais fácil de sua carreira. Choveram protestos alegando ilegalidade no recurso adotado pelo projetista sul-africano e o FANCAR foi aposentado apenas uma corrida após sua estréia vitoriosa. Derrota da Brabham que voltou a usar o convencional BT46, vitória de Bernie Ecclestone - dono da Brabham na época - que só aceitou abrir mão de seu dispositivo se as outras equipes aceitassem uma maior representatividade da entidade que ele presidia, a FOCA - que na época do imbróglio não tinha tanta influência nos rumos da F1. Foi então com essa astuta manobra que Ecclestone iniciou sua escalada rumo à centralização do poder na categoria máxima do automobilismo.
Quanto à beleza, dá para achar um carro com linhas aerodinâmicas como essas bonito? Tire suas dúvidas dando uma olhada em mais uma foto:


Só mais um detalhe final:
O BT46 foi o primeiro carro Brabham usado por Nélson Piquet na F1, o brasileiro correu com ele no GP da Argentina de 1979 - primeiro do ano - para logo em seguida no GP do Brasil estrear o péssimo BT48.

#42 - BRM P15 - 1951



DESIGN: Peter Berthon
PILOTOS: Reg Parnell, Peter Walker
Vitórias: 0
Poles: 0
M.volta: 0
Pontos: 2

A cor do carro impressionava na época, pois não se usava tons de verde como esse em pinturas automotivas. Pois se a cor impressionava pela singularidade o carro não tinha nada de mais para impressionar, uma vez que era considerado um "grande elefante branco do esporte a motor inglês, o BRM P15 foi rejeitado pela equipe e também pelo público", palavras da revista. Mas que era bonito isso ele era (clique em qualquer uma das fotos para ampliar).


#42 - Brabham BT20 - 1966/1969


DESIGNER: Ron Tauranac
PILOTOS: Jack Brabham, Denny Hulme, Guy Ligier, John Love, Silvio Moser, Peter de Klerk.
Vitórias: 8
Poles: 7
M.voltas: 4
Pontos: 115

O Brabham BT20 foi um dos carros mais carros bem sucedidos da história da F1 arrebatando os títulos de pilotos e construtores em 1966 e 1967. Marcou época também por ter se tornado o único carro da história a fazer de seu próprio construtor, Jack Brabham, campeão mundial de pilotos em 1966.



Seu chassi era muito robusto porém leve e foi moldado sobre o confiável motor REPCO derivado de um OLDSMOBILE americano, mas quem vai nos dar detalhes sobre o carro é seu piloto-construtor CAMPEÃO - afinal de contas a F1 só viu um até hoje, com a palavra SIR JACK BRABHAM:
"Eu planejei cuidadosamente o BT20 para essa temporada*. Imaginei que se o relativamente simples motor V8, de 3 litros, da Repco, andasse bem, poderia vencer uma das duas corridas do início da temporada, enquanto os motores dos outros ainda estivessem em desenvolvimento. A sorte, é claro, sempre põe seu dedo em todas as competições. Eu, por exemplo, tive sorte no GP da França, em Reims, mas não se pode depender somente da sorte. A máquina tem que estar perfeita se quiser vencer. Em janeiro, no GP da África do Sul, com o Brabham/Repco V8 portando-se muito bem, foi quando mais acreditei em minhas possibilidades. Em 1959 e 1960, venci com um simples motor de 4 cilindros. Não era um motor dos mais potentes mas o conjunto era perfeito. Esse ano*, segui o mesmo princípio: um motor simples mas bom, com um torque bem flexível, montado sobre um chassi que desenvolvi ano passado. O motor Repco V8, de 3 litros, é baseado no bloco de alumínio fundido do OLDSMOBILE F85 V8, foi um excelente motor da GENERAL MOTORS...

*NOTA DO BLOGUEIRO: Jack referia-se à temporada de 1966, mas o carro foi tão bem construído que fez sucesso também em 1967.

#42 - Ferrari F2003GA - 2003


DESIGNER: Rory Byrne
PILOTOS: Michael Schumacher, Rubens Barrichello.
Vitórias: 7
Poles: 5
M.voltas: 5
Pontos: 126

O F2003GA apesar de arrebatar os títulos de pilotos e construtores não foi nem sombra do carro que o antecedeu, o F2002, e o que sucedeu, o F2004, que massacraram seus concorrentes. E o fato que mais ilustra o aperto que a Ferrari passou em 2003 foi a Mclaren ter conseguido lutar pelo título até a última corrida com um carro completamente obsoleto.
Apesar de gostar do design desse carro, não gosto da tendência de nariz largo adotada por Rory Byrne desde o carro de 2001. O GA adotado na nomenclatura do carro foi uma homenagem ao presidente do grupo FIAT - proprietário da Ferrari - GIOVANNI AGNELI, falecido em 2003.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

VÍDEOS INCRÍVEIS 3 - Fórmula 1 dos tempos românticos

video

Gostou da miniatura do último post?
Gostaria de vê-la em ação?
Pois eis aqui neste vídeo, terceiro da coluna VÍDEOS INCRÍVEIS, uma oportunidade de ver não só a Mclaren M23 do RATO em ação como também as Ferraris de Lauda e Regazzoni, a Tyrrell de Scheckter, a Lotus de Peterson e tantos outros.
Optei por este vídeo no intuito de satisfazer alguns pedidos que me chegaram por e-mail de amigos que ficaram extasiados com as imagens do clip do Robbie Williams - VÍDEOS INCRÍVEIS 2 - e me pediam mais imagens dos "estranhos" e "fascinantes" carros da década de 1970. Daí decidi unir três anseios em um só post: "dar vida" ao modelo do último post, saciar a vontade dos amigos ávidos por F1 dos anos setenta e render mais uma homenagem ao Emerson, afinal de contas ninguém merece ser mais reverenciado no Brasil em termos de esporte a motor do que o nosso RATO. E para corroborar a homenagem: imaginem quem inicia o vídeo pilotando um... ah, descubram vocês mesmos.

sábado, 24 de novembro de 2007

MINIATURA DA VEZ 5 - Mclaren M23

Nada melhor para quebrar um certo clima de tristeza deixado pelo último post que apresentar uma bela miniatura. É com muito orgulho que apresento hoje a vocês minha Mclaren M23 campeã do mundo com ninguém menos que o fabuloso EMERSON FITTIPALDI, já era tempo de render glórias ao nosso "bandeirante" da velocidade. O modelo, como de praxe, sofreu aquela transformaçãozinha básica que consistiu na adição dos adesivos MARLBORO. Observem nas fotos abaixo quão minucioso foi o trabalho de aplicação dos decalques prestando atenção em partes menores como, por exemplo, a viseira do capacete da figura do piloto (clique para ampliar) :


Antes de prosseguir atente para a foto abaixo, onde o modelista foi sublime ao aplicar um fundo branco sobre a coloração vermelha da lateral do aerofólio traseiro modelando a forma geométrica característica da marca de cigarros - aquela forma que se assemelha a uma bandeirinha de festa junina - para só depois aplicar a inscrição Marlboro:


Muito legal, não? Pois é, e o autor de tamanha proeza é o meu grande amigo SAMUEL LIMA, um cara extremamente bacana e humilde, maior virtude que um ser humano pode ter em minha opinião. O Samuel reside em São Paulo e possui uma belíssima coleção de miniaturas 1/18 quase todas de F1, mais um louco do bem a gastar pequenas fortunas com modelos de metal. Para quem ainda não conhece é essa figuraça aí:


OPS! Peraí ô Samuel!?! Que idéia é essa de imitar a foto do perfil do meu blog?
Brincadeiras a parte, o Samuel é um grande modelista e se alguém quiser ter sua miniatura "tunada" por ele entre em contato através de seu e-mail: samuelrlima@terra.com.br . O trabalho acima é uma pequena amostra de seu potencial.
Ah, e para quem gosta de comparações aí vai uma foto da miniatura originalmente lançada pela MINICHAMPS sem os decalques tabagistas. Sua escala, como sempre, é 1/18:

Fatos que marcam

Você conhece a história da bela jovem da foto acima, a venezuelana Jacqueline Saburido? Se não conhece, viaje comigo neste impressionante relato:

O ano era 1999 e a estudante de engenharia venezuelana Jacqueline Saburido decide interromper os estudos para passar uma temporada nos Estados Unidos visando, dentre outras metas, estudar e aprimorar-se na língua inglesa. Jovem, bonita, extrovertida e bem articulada não tardou em fazer diversas amizades. Sua felicidade era plena até chegar o dia 19 de setembro, dia que reuniu-se com seus novos amigos para comemorar o aniversário de um deles. A festa foi divertida e transcorreu sem nenhum excesso ou incidente que poderia comprometer o clima alegre que imperava. Ao cair da madrugada, Jacqueline acompanhada de mais quatro amigos decidem ir embora juntos no mesmo carro e no caminho de casa encontram uma bela caminhonete, nova e devidamente "customizada", guiada por um jovem americano de classe média alta que saía de um encontro casual com amigos em que todos bebericavam alegremente sem, aparentemente, maior compromentimento de seus reflexos de coordenação motora. É aquela velha mania que nós mesmos já presenciamos tantas vezes: -Bêbado eu? Imagina? Só tomei uma ou outra cervejinha, "tô" bom demais para dirigir... E foi neste contexto que o carro dos cinco amigos que alegremente voltavam de uma festa de aniversário foi abalroado pela reluzente caminhonete do autoconfiante jovem de uma forma tão violenta que imediatamente incendiou-se. O que se seguiu então foram cenas apavorantes que culminaram com a morte de dois dos cinco ocupantes do carro flamejante. Mas, e a jovem à qual me referi no início do relato, poderiam me perguntar vocês, qual foi o destino dela?
Meus caríssimos amigos, não responderei a vocês imediatamente com palavras e sim com as seguintes imagens:








Essas imagens, meus caros são de Jacqueline Saburido após a tragédia que mutilou suas orelhas, seu nariz, sua pálpebra esquerda, seu cabelos e todos os dedos de suas mãos, além de ter queimado cerca de 60% de seu corpo e ter deixado-a quase que completamente cega. Jacqueline já sofreu mais de 40 intervenções cirúrgicas, incluindo um transplante de córnea que restarou quase completamente sua visão esquerda, e continua lutando contra dores lancinantes que a atormentam diariamente. Isso sem contar com o sofrimento de estar afastada do convívio com seus familiares, uma vez que ela precisou mudar-se definitivamente para os EUA devido ao seu tratamento que só poderia ser realizado satisfatoriamente lá, podendo contar apenas com a companhia do pai (última foto) que largou tudo para acompanhá-la.
Mas, afinal de contas, qual a finalidade de eu estar relatando aqui em meu blog semelhante história? Meus caros, uma vez que nós todos somos tão apaixonados por carros e velocidade, é muito natural que um fato como esse não poderia passar despercebido. Não que eu tenha alguma pretensão de - com um blog particular como o meu, postado por um leigo em jornalismo - querer dar alguma força à cruzada contra a maléfica associação álcool-direção. O caso todo é que este fato mexeu demais comigo e gostaria dividir com vocês toda minha tristeza ao saber o tamanho estrago que umas despretensiosas "biritinhas" pode causar na vida de tanta gente e, principalmente, o grau de sofrimento extremo que um ser humano pode ser submetido por causa de um erro de julgamento, ou vocês acham que o jovem poderia imaginar que seria o artífice de tamanha desgraça?
Por isso, meus amigos, que reflitamos sempre antes de pegar o volante depois daquela "festinha" em que bebemos só um "golezinho"...Que o sofrimento dessa jovem valha uma mudança de postura: bebeu, nem que seja um copo, definitivamente não dirija. Quem quiser se inteirar da comovente história de Jacqueline entre no seguinte site: www.helpjacqui.com .

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Piquet - Nem só de velocidade vive o sobrenome

Pois é meus caros, nem só de automobilismo sobrevive o sobrenome Piquet. A beldade aí de cima é KELLY PIQUET, filha do tricampeão com a ex-modelo holandesa Sylvia Tamsma, mãe também de Nélson Ângelo. A guria de 14 aninhos, 1,69 metros e 51 quilos quer seguir a trilha deixada por sua mãe e se tornar modelo. Os primeiros passos rumo a concretização de seu sonho foram dados no SÃO PAULO FASHION WEEK deste ano, onde debutou nas passarelas e o paizão coruja acompanhou tudo de perto sentando na primeira fila. Será que vinga?

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Mais belos carros by F1 RACING - os 5 carros que empataram na quadragésima nona posição

De volta à lista dos mais belos carros da F1 RACING até 2004, descobriremos hoje os cinco carros que empataram na quadragésima nona posição. Contemplemos as beldades (será que todos são beldades ?), então:

#49 - Ferrari 412T2 - 1995


DESIGNER: John Barnard
PILOTOS: Jean Alesi, Gerhard Berger.
Vitórias: 1
Poles: 1
M.voltas: 3
Pontos: 73

Esse carro marca uma interessante lista de acontecimentos:

1 - Único bólido da F1 a proporcionar uma vitória ao talentoso e subestimado Jean Alesi (quem mandou trocar a Williams pela Ferrari em 1991?).
2 - Último carro desenhado por John Barnard para a Ferrari. John foi contratado a peso de ouro pela equipe italiana com a incumbência de trazê-la de volta aos tempos de glória. Mas isso não aconteceu e Barnard, até então considerado um gênio, nunca mais lideraria um projeto vencedor.
3 - Último Ferrari a usar seus tradicionais e poderosos motores V12.
4 - Último carro da Ferrari a ser pilotado por Gerhard Berger e Jean Alesi, pilotos muito queridos pelos tifosi.

#49 - Jordan EJ13 - 2003


DESIGNER: Henri Durand
PILOTOS: Giancarlo Fisichella, Ralph Firman, Zsolt Baumgartner.
Vitórias: 1
Poles: 0
M.volta: 0
Pontos: 0

Veja o que a descrição da F1 RACING diz a respeito desse feio bólido de Eddie Jordan: "O Jordan EJ13 é uma escolha ímpar - rejeitado por seus engenheiros e pilotos, ele merece de alguma forma um lugar na lista graças à vitória fortuita de Giancarlo Fisichella no Grande Prêmio do Brasil de 2003 - embora tenha cruzado a linha pegando fogo."
Discordo plenamente, uma vez que o concurso elege os mais belos carros e não as vitórias mais bizarras. E você, o que pensa a respeito?

#49 - Mclaren MP4-18A - 2003


DESIGNER: Adrian Newey
Pilotos: Esse carro nunca correu

O que você diria ao analisar os números finais de Kimi Räikkönen no final da temporada de 2003: vice-campeão, a apenas dois pontos de Schumacher (imbatível de 2000 a 2004), quarenta pontos a frente de seu companheiro de equipe o já experiente David Coulthard e nove pontos a frente da nova sensação da F1 Juan Pablo Montoya com seu eficente Williams BMW ? Não paremos por aqui, adicione aos números os seguintes fatos: Kimi Räikkönen levou a decisão do título para a última corrida e só perdeu o título porque Rubens Barrichello venceu o GP do Japão ajudando o alemão a sagrar-se hexacampeão (se Kimi, segundo colocado na corrida, passasse Rubens seria ele a triunfar no campeonato). E então, de posse todos essas informações, lanço a questão: o que faria a Mclaren entrar em pânico durante a temporada e tentar em vão criar um carro substituto ao MP4/17D que vinha disputando as corridas?
O caso todo é o seguinte: o carro que disputaria a temporada de 2003 seria o MP4/18. Mas devido a problemas sérios de confiabilidade nos testes a Mclaren não conseguia colocá-lo para disputar corridas e teve que apelar para o já obsoleto MP4/17 para "quebrar o galho". Uma dessas tentativas de colocar o MP4/18 para correr resultou no belíssimo MP4/18A que, apesar de sua primorosa escultura, nunca correu por não conseguir resolver o tal problema de confiabilidade.

#49 - Mclaren MP4-12 - 1997


DESIGNER: Neil Oatley
PILOTOS: Mika Häkkinen, David Coulthard.
Vitórias: 3
Poles: 1
M.voltas: 2
Pontos: 63

Até que enfim a parceria Mclaren-Mercedes Benz rendera frutos... O MP4-12 foi o primeiro carro da associação a trazer a equipe Mclaren ao rol de vencedores de corridas novamente após vários de anos de jejum, a última conquista foi no longínquo GP da Austrália de 1993 com Ayrton Senna. Esse carro marcaria também a história da Mclaren por outro motivo: foi o último projeto desenhado por Neil Oatley, que foi substituído pelo brilhante Adrian Newey em 1998.

#49 - Brabham BT58 - 1989/1990


DESIGNER: Sergio Rinland
PILOTOS: Martin Brundle, Stefano Modena, Gregor Foitek.
Vitórias: 0
Poles: 0
M.volta: 0
Pontos: 10

É engraçado como o avanço da idade, tenho 34 anos, muda nossos pontos de vista sob vários aspectos, inclusive o senso estético. Quando me deparei pela primeira vez com o BT58 cheguei a conclusão de que a Brabham tinha atingido uma decadência tão grande que a até seus carros, tradicionalmente belos, tinham ficado feios. Realmente a decadência dessa ex-campeã mundial foi confirmada pelo BT58, principalmente devido ao fraquíssimo motor Judd V8, mas, atualmente, me deparando novamente com suas linhas aerodinâmicas e sua pintura limpa acho o carro extremamente bonito. E concordo plenamente com a revista F1 RACING que o considera: "estiloso, elegante e bem esculpido".

domingo, 11 de novembro de 2007

Piquet 20 anos depois - por PC


Dia 31 de outubro comemoramos outro aniversário de títulos importantes para nosso glorioso esporte a motor. Trata-se dos 20 anos do tricampeonato de Nélson Piquet que , em minha concepção , foi o mais difícil da honrosa tríade . Junte: seqüelas de um fortíssimo acidente sofrido ainda no início do campeonato , um GP a menos , sua própria equipe trabalhando contra você e a favor de seu companheiro (isso não é privilégio só do Alonso) e um adversário fortíssimo , veloz e extremamente talentoso ; e você terá uma pequena dimensão de quão herói Piquet foi na temporada de 1987. Ele teve que usar de toda sua experiência para reunir os ingredientes necessários para bater Nigel Mansell: arrojo , astúcia , malícia e inteligência. E no GP do Japão Piquet , o combalido guerreiro que mal dormia por causa de seqüelas psicológicas advindas do terrível acidente sofrido na Tamburello , triunfava sobre tudo e sobre todos (inclusive sobre sua própria equipe) e foi comemorar na ... LOTUS (doce vingança que só o espirituoso Nélson poderia armar). Feito gigantesco , épico , digno somente dos deuses do automobilismo.
Para registrar esses 20 anos de tão vultoso feito , ao invés de postar uma foto de Mansell com aquela cara agonizante nos treinos do GP nipônico , resolvi publicar uma foto de nosso campeão justamente 20 anos depois da conquista. A foto é exclusiva e me foi enviada pelo PAULO CÉSAR SOUZA FARIA , da charmosíssima cidade mineira de Araguari.O PC , como ele prefere ser identificado , é chefe do cartório da primeira vara cível em Araguari e é um dos maiores fãs da enorme legião de admiradores do tricampeão. Vejamos o que ele mesmo diz sobre a foto:
"Tirei a foto do Tricampeão num evento que ocorreu em Brasília , no mês de setembro , quando fiquei frente a frente com a fera. Fiquei tão nervoso que nem tive coragem de pedir a alguém para tirar a foto comigo. Pena. Ele foi muito gentil , fez a pose e depois me agradeceu. Foi demais. "
Repararam na grafia do "TRICAMPEÃO" iniciando com letra maiúscula? É, esse é fã mesmo!!!
Para terminar , achei justo e de bom tom publicar uma foto do PC acompanhado , muito bem acompanhado diga-se de passagem , de sua filha CLARINHA.
Obrigado amigo PC.
Salve PIQUET!!!

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Vídeos Incríveis 2 - Supreme by Robbie Williams

video

Simplesmente fantástico este clip da música SUPREME do cantor inglês ROBBIE WILLIAMS onde o mesmo, sob o alter ego de um piloto de F1 da década de 1970 batizado de BOB WILLIAMS, trava uma divertida batalha pelo título contra ninguém menos que o fenômeno da época, o escocês JACKIE STEWART. Imagens lindas mesclam-se a outras hilárias que fazem deste um dos meus videoclips favoritos, por razões óbvias. E, além de tudo isso, a música é linda.
DIVIRTAM-SE !!!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Histórias de família 1 - Orgulho da Família

Devo ser um agraciado mesmo por Deus por ter recebido de presente Dele um irmão espetacular como o meu.Guilherme Ribeiro não é só um mero irmão caçula, é o companheiro de todas as horas, o amigo fiel, o conselheiro a quem todo mundo dá ouvidos. Graduado em direito pela Universidade de Uberaba e pós-graduado em direito ambiental pela PUC de Belo Horizonte, reside atualmente em Lucas do Rio Verde (MT) e leciona na UNIVERDE ,onde foi escolhido pelo corpo discente como melhor professor de sua área com quase 90% de aprovação. Extremamente inteligente e articulado, é um agregador de amizades e admiradores como poucas vezes vi em minha vida.
Com todas essas qualidades dá ou não dá para se orgulhar de um ser humano fantástico como esse? Por isso encho o peito de orgulho e afirmo com todas as letras: GUILHERME É O GRANDE ORGULHO DA FAMÍLIA RIBEIRO!!!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

MINIATURA DA VEZ 4 - Modificação de uma Mclaren MP4/13

Apresento hoje uma Mclaren MP4/13 de minha coleção particular da marca Minichamps na escala 1/18.Peço a vocês que reparem bem na foto acima(clique para ampliar) que mostra a miniatura exatamente como ela foi manufaturada.Vocês podem reparar que ela não vem com patrocínios dos cigarros WEST.E,como vocês já devem ter se acostumado,não fiquei muito satisfeito com esses símbolos que acompanham a miniatura na falta do patrocinador e tratei de encomendar uma folha de decais para convertê-la.

Pois bem,com a chegada dos decais,deu-se início ao trabalho de remoção dos decais indesejáveis deixando a miniatura parcialmente "nua"(foto 2,clique para ampliar).O trabalho de remoção é minucioso e árduo,pois requer muita precisão para que não ocorram danos à pintura do carro.Seguindo em frente,temos como estágio final da conversão a aplicação dos decais WEST(foto 3) em cada ponto do carro onde verdadeiramente aparecem os patrocínios tabagistas.E não podemos nos esquecer da aplicação correta também dos decais na figura do piloto para que a miniatura fique fiel à cena original do carro.Uma verdadeira jóia o trabalho final,não acham?

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Mais belos carros by F1 RACING - os 7 carros que empataram na posição de número 54

Dando continuidade à eleição da renomadíssima revista F1 RACING dos 73 mais belos carros da história da F1 até 2004,publico hoje os 7 carros que empataram na posição de número 54.Muita controvérsia deve aperecer neste grupo,uma vez que alguns destes carros não são "assim tão belos".Mas o mais gostoso de toda eleição é justamente a discussão que ela provoca.Sendo assim,vamos lá então descobrir que carros são esses.
NOTA DO BLOGUEIRO: gostaria imensamente de agradecer aos visitantes do blog que encheram minha caixa de e-mail pedindo para que eu não demorasse a dar continuidade à publicação desta divertida eleição,pois estavam: "ansiosos para descobrir que carros ainda estavam por vir..."

#54 - BRM P153 - 1970/1972

DESIGNER: Tony Southgate
PILOTOS: Pedro Rodriguez,Jackie Oliver,George Eaton,Howden Ganley,Jo Siffert,Helmut Marko,John Cannon,Reine Wisell.
Vitórias: 1
Poles: 0
M.volta: 0
Pontos: 25

Nas palavras da F1 RACING: "Talvez o melhor carro de Tony Southgate, o BRM P153 trilhou novos caminhos com seu monocoque curvo e longo.O P153 é outro desses carros que nunca morrerão."

#54 - Fondmetal GR02 - 1992


DESIGNER: Sergio Rinland
PILOTOS: Gabriele Tarquini,Andrea Chiesa,Eric van de Poele.
Vitórias: 0
Poles: 0
M.volta: 0
Pontos: 0

Sergio Rinland especializou-se em projetar carros para equipes minúsculas,mas com a Fondmetal Rinland exagerou na pequenez.O carro era tão ruim que só deve ter sido lembrado aqui nesta eleição.E,sejamos sinceros: esse carro é bonito???

#54 - Ensign N180/B - 1980/1981

DESIGNER: Ralph Bellamy
PILOTOS: Clay Regazzoni,Tiff Needell,Jan Lammers,Geoff Lees,Marc Surer,Eliseo Salazar.
Vitórias: 0
Poles: 0
M.volta: 1
Pontos: 5

Belo carro? Este carro deve despertar paixões antagônicas,pois já o vi figurar em uma lista de carros feios da década de 1980.Na dúvida,postei fotos em close para que vocês possam escolher entre belo e feio.O certo mesmo é que esse carro traz consigo uma lembrança amaríssima para os fãs da F1 da década de 1970,pois foi com ele que o vice-campeão Clay Regazzoni ficou paraplégico em um acidente no GP de Long Beach.O acidente foi tão impressionante que Émerson Fittipaldi disse que chegou a escutar a pancada mesmo usando capacete,protetores de ouvido e acelerando o motor a toda velocidade de final de reta.Motivo da tragédia: pedal de freio partido.
Triste fim de carreira para o querido Clay Regazzoni .