domingo, 30 de novembro de 2008

VÍDEOS INCRÍVEIS 21 - Obra-prima

video

Se fosse eu o responsável por uma possível premiação à melhor campanha publicitária feita pela capacidade criativa da raça humana, seria esse indescritível comercial feito pela Shell para comemorar sua longa parceria com a Ferrari o meu eleito. Impossível encontrar adjetivos para essa obra prima, deleitem-se à vontade e para aqueles que nunca o viram façam como eu, assistam 26 vezes seguidas... Foi como dar vida às minhas miniaturas, entendo cada nuança delas, principalmente as mais antigas.

Esse vídeo é o mais INCRÍVEL dos incríveis já publicados pela coluna...

sábado, 29 de novembro de 2008

Resposta do desafio do RIBEIRO

Meus caros, demorei um "cadiquinho" - como dizem os queridos mineiros - a dar a resposta do desafio que lancei dias atrás por causa da boa repercussão que as respostas por e-mail tiveram, mas enfim chega de mistério e vamos lá:
FOTO 1 - EQUIPE: SPIRIT; MODELO: 201C; ANO: 1983; PILOTO: STEFAN JOHANSSON;
FOTO 2 - EQUIPE: MARCH; MODELO: 821; ANO: 1982; PILOTO: JOCHEN MASS;
FOTO 3 - EQUIPE: ALFA ROMEO; MODELO: 181; ANO: 1981; PILOTO: BRUNO GIACOMELLI;
FOTO 4 - EQUIPE: RAM MARCH; MODELO: 001; ANO: 1983; PILOTO: KEN ACHESON
FOTO 5 - EQUIPE: OSELLA; MODELO: FA1C; ANO: 1981; PILOTO: JEAN PIERRE JARRIER
Agradeço a todos que participaram da brincadeira e parabenizo aos doutos em Fórmula 1 que acertaram total ou parcialmente as respostas.
Amanhã volto com um vídeo genial...

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

FALOU TÁ FALADO !?! 5

Ao fazer um post sobre a frustração e a tristeza que o fim da charmosa e alucinante categoria GP MASTERS me causou, me deparei com essa divertida asserção nos comentários do post e não resisti, quis destacá-la dedicando um post na coluna Falou tá falado, leiam a pérola:

"ANTES DA GP MASTERS, HAVIA UMA CATEGORIA QUE REUNIA NOMES DA F1 JÁ APOSENTADOS, COMO MANSELL, FITTIPALDI, TEO FABI, JOHANSSON... CHAMAVA-SE "FÓRMULA INDY" ".
(DANIEL MÉDICI)

Hehehe, o autor dessa pérola digna de dar inveja a Nélson Piquet foi meu espirituoso camarada Daniel Médici do excelente blog CADERNOS DO AUTOMOBILISMO e sabe que ele está coberto de razão: por que criar uma outra categoria para os veteranos se a "véiarada" está tudo nos EUA, né???
É A REINVENÇÃO DA MÁXIMA: "O QUE É BOM PARA OS EUA É BOM PARA O BRASIL" PARA: O QUE NÃO É BOM PARA A FÓRMULA 1 É ÓTIMO PARA O AUTOMOBILISMO NORTE-AMERICANO...

sábado, 22 de novembro de 2008

Desafio do RIBEIRO

Você conhece bem os carros da Fórmula 1? É daqueles que só de bater o olho já sabe o nome da equipe, o modelo do carro, em que ano correu e quem era o piloto? Então este post é para você, aficcionado pelos carros deslumbrantes da categoria máxima do esporte a motor...
Abaixo seguem 5 fotos de carros diversos que disputaram o campeonato mundial e eu desafio você a identificar: 1°- A equipe retratada; 2°- O modelo do carro, 3°- O ano em que correu e 4°- O piloto que está guiando o carro na foto.

Como exemplo destrincho a foto acima:
1°- É uma TYRRELL; 2°- O modelo é o 015; 3°- O ano é 1986 e 4°- O piloto é o campeão mundial de marcas MARTIN BRUNDLE.

Exemplo dado, vamos aos carros misteriosos então (clique na foto para ajudar a desvendar os enigmas):





Resposta do Fórmula Pimpolhos II

Abaixo as respostas do post anterior em fotos dos pimpolhos já crescidinhos:

Foto 1 - Alain Prost:

Foto 2 - Pedro de la Rosa

Foto 3 - Jarno Trulli:

Foto 4 - Fernando Alonso:

5 - Heikki Kovalainen:

E aí? Acertaram? Pelos comentários e pelas respostas em e-mail ninguém conseguiu identificar todos os pimpolhos...

Fórmula Pimpolhos II

Mais fotos enviadas pela leitora Aline Lima para compor outro post Fórmula Pimpolhos...
E agora? Quem são as figurinhas carimbadas?
Dicas: três estão na ativa e são pilotos titulares, um está na ativa porém é piloto de testes e um já se aposentou. Dá para arriscar um palpite agora?




sexta-feira, 21 de novembro de 2008

GP MASTERS - Por que parou? Parou por quê?

Nunca fui muito fã de nada no automobilismo que não fosse Fórmula 1, acho interessante ver alguns flashes de rali para conferir a perícia dos pilotos em terrenos diversos e incrivelmente difíceis de se equilibrar em cima de um carro tão veloz e SÓ... Detesto qualquer coisa que venha dos EUA sob a forma de automobilismo (não suporto nem a tal das 500 milhas), não tenho paciência para moto GP, não gosto de corridas de turismo e muito menos dessa tal de A1GP que criaram nem sei para quê. Meu negócio sempre foi Fórmula 1, amo a FÓRMULA 1 e não o automobilismo.
Mas, curiosamente, a pouco tempo atrás criaram uma categoria que muito chamou minha atenção: a GP MASTERS, que consistia na disputa com chassi e motor iguais entre veteranos da Fórmula 1. Aqueles caras que nunca queríamos que tivessem aposentado, mas que por força do sempre inexorável tempo tiveram que pendurar o capacete. O grid estava cheio de feras como Nigel Mansell, Emerson Fittipaldi, René Arnoux, Jacques Laffite, Derek Warwick, Riccardo Patrese, Christian Danner, Hans Joachim Stuck, Andrea de Cesaris, Eddie Cheever e outros mais. Os carros não tinham recursos eletrônicos e a alavanca de marcha era manual, ou seja , era uma festa do automobilismo puro, da habilidade humana controlando completamente a máquina. E não é que os velhinhos davam show... A corrida inaugural foi na África do Sul em 2005 , abrigou um público superior a muitas corridas da atual Fórmula 1 e foi magnífica. Um verdadeiro espetáculo do eterno showman Mansell e um competitivo Fittipaldi que cruzaram a reta de chegada praticamente colados, e disputas interessantíssimas entre os loucos Stuck e de Cesaris. Todos os presentes saudaram os pilotos com entusiasmo contagiante, certos de que finalmente tinham conseguido vislumbrar uma categoria alternativa digna de dar espetáculos similares aos da Fórmula 1. Foi um frisson da imprensa que já especulava a inclusão de nomes como Alain Prost e Alan Jones para abrilhantar ainda mais a nova categoria, mas... A IDÉIA MORREU!!!
Logo depois dessa corrida inaugural na África do Sul - meramente demonstrativa - decidiram fazer um campeonato regular para o ano de 2006, mas houve apenas três corridas - Qatar, Inglaterra e outra na África do Sul - e no meio do campeonato o grupo responsável pela organização da categoria faliu. Ninguém comprou a idéia e a emocionante categoria que estava atingindo o objetivo de trazer de volta os saudosos shows de figuras marcantes do automobilismo morreu prematura.
UMA PENA, VERDADEIRA PENA... Imaginem vocês se a idéia tivesse vingado estaríamos entrando agora na quarta temporada e poderíamos estar vendo no grid - além dos já citados - nomes como Nélson Piquet, Damon Hill, Alessandro Nannini, Thierry Boutsen e outros mais medindo forças em carros que tinham mais de 600 cavalos de potência e chegavam a 320 KM/H. E esperando para estrear - já que o limite mínimo de idade estipulado para competir era de 45 anos - poderíamos ter Mika Häkkinen, Michael Schumacher, Jean Alesi, Jacques Villeneuve e Heinz Harald Frentzen.

POIS É... EM TEMPOS DE FÉRIAS DE COMPETIÇÃO NA FÓRMULA 1 TER QUE ATURAR A1 GP E SIMILARES E NÃO TER A GP MASTERS MAIS PARA NOS DIVERTIR É INSUPORTÁVEL. POR ISSO QUE COLECIONO MINIATURAS DE FÓRMULA 1...

Resta do sonho tão curto algumas - marcantes - imagens:



Para finalizar, na corrida inaugural vi muita gente da velha guarda da imprensa - gente do quilate de Murray Walker e Reginaldo Leme - literalmente chorar de emoção no momento da apresentação dos pilotos em Kyalami ao som de BEAUTIFUL DAY do U2.

COMO DEIXAM UMA IDÉIA TÃO BRILHANTE E ONÍRICA MORRER ???


terça-feira, 18 de novembro de 2008

Miniatura da Vez 16 - A Fabulosa Jaguar T3

O que um exterminador tem a ver com um carro de Fórmula 1?
Resolveram associar o personagem fictício vivido por Arnold Schwarznegger no cinema e o carro da Jaguar Racing no GP da Inglaterra em 2003 para uma campanha publicitária do terceiro e último filme da saga, O EXTERMINADOR DO FUTURO 3: A REBELIÃO DAS MÁQUINAS (T3, THE RISE OF THE MACHINES). O resultado foi um leiaute espetacular nos já bonitos carros verde-esmeralda da Jaguar, onde o tradicional Jaguar saltando estampado na tampa do motor foi substituído por um fundo negro com a imagem dos dois exterminadores e o logotipo do filme. Dois exteminadores? Sim, do lado esquerdo aparecia o rosto de Arnold Schwarznegger - o exterminador T-800 enviado ao passado para proteger John Connor - e a "terminatrix" T-X vivida pela atriz Kristanna Loken - vilã na história - estampou o lado direito do carro, observem na foto acima e abaixo (clique nelas para ampliar):

Esse carro publicitário da Jaguar para Silverstone 2003 não recebeu a atenção de nenhuma fábrica de miniaturas e por isso nós aficcionados por miniaturas que queríamos ter um modelo deste acontecimento único tivemos que recorrer aos nossos anjos da guarda, os modelistas. No meu caso, recorri a meu amigo JOÃO VERNINI FILHO, devidamente apresentado e elogiado em posts anteriores, para proceder a mudança. O projeto ficou tão interessante que meu amigo SAMUEL LIMA decidiu fazer uma também e ambos, Samuel e eu, mandamos nossas Jaguar para receber a nova roupagem.
Chegando ao "quartel general" do artista João, o primeiro passo bolado por ele para a transformação do modelo foi a confecção do fundo negro com a inserção dos rostos dos exterminadores:

Depois foi feita a adição do leiaute completo com o logotipo do filme, o símbolo da Jaguar e o patrocínio Beck's:

Decalques prontos, agora chegou a hora de colocá-los sobre a miniatura, reparem o quão minucioso é o trabalho executado, pois requer a remoção da carenagem que receberá o decalque já transformado. Mais uma coisinha: reparem na adição de um pigmento prateado sobre o logotipo do filme (em close na primeira foto):

A carenagem desmontada pronta:

E agora, o GRAND FINALE, a Jaguar T3 de Silverstone pronta e montada. Os modelos usados para a conversão são da marca MINICHAMPS, a escala deles é a 1/18 e o carro representado é o do australiano Mark Webber.
E aí? Gostaram? Eu e meu amigo Samuel ADORAMOS.
Mais uma arte de João, o transformador.





sábado, 15 de novembro de 2008

Guia do Colecionador 2 - Os carros campeões do mundo da década de 1960 disponíveis na escala 1/18 - Parte I

Abriremos os anos 1960 com um jeito diferente de publicar o post inaugural da referida década, ao invés de esmuciar descritivamente a primeira miniatura 1/18 campeã - marca registrada da série Guia do Colecionador - iremos apresentar fotos
que irão se incumbir desta descrição. A razão para essa mudança de atitude se deve simplesmente ao fato de a primeira miniatura campeã dos anos 1960 ainda não ter sido lançada no mercado consumidor, mas seus protótipos já estão prontos e suas fotos estão disponibilizadas logo abaixo (cortesia de João Vernini Filho). Para aquele que não está familiarizado com a série dos campeões em 1/18, o número 6 abaixo refere-se à ordem cronológica de carros campeões existentes em miniaturas na escala 1/18 desde o surgimento do campeonato mundial de Fórmula 1 em 1950 (sendo 5 na década de 1950 e este o primeiro da década de 1960, já que não existe carro em miniatura 1/18 para o ano de 1960).
Conheçamos então mais uma maravilha:

6 - 1961


CAMPEÃO DO MUNDO: PHIL HILL
CARRO: FERRARI 156
MINIATURA: CMC

Como vocês puderam notar nesta primeira foto a empresa alemã CMC MODELS produzirá inicialmente três versões diferentes da Ferrari campeã de 1961, sendo duas do campeão mundial Phil Hill e uma do vice-campeão Wolfgang von Tripps, tomando por base os números - graças a Deus parece que a CMC está perdendo o PÉSSIMO hábito de lançar miniaturas sem número - identifique cada uma:

N°2 - Carro de Phil Hill na corrida que o consagrou como campeão mundial, GP da Itália.
N°3 - Carro de Wolfgang von Tripps no GP da Alemanha, em Nürburgring.
N°4 - Carro de Phil Hill em sua vitória no GP da Bélgica.

Identificadas as versões, o colecionador de carros campeões tem duas opções para escolher o carro a ser adquirido, os puristas devem optar pelo modelo da corrida do título em Monza - foto abaixo - mas a miniatura da corrida da Bélgica - foto acima - apresenta uma diferença sutil que agrada muito esteticamente: retrovisores na cor prata, tornando-se por isso uma opção bem atraente.

Os carros devem estar disponíveis para compra dentro de 10 a 15 dias, clique nas fotos para melhor visualizar (há diferenças sutis em cada modelo) e escolher qual o modelo terá a honra de figurar em sua vitrine. Contemplem abaixo os motivos maiores de a CMC ser tão festejada como manufatureira de diecasts, a marca não se cansa de nos surpreendeer com sua finesse ao detalhar um Fórmula 1 miniaturizado.






quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Mais belos carros by F1 RACING: O décimo sexto colocado

Terminada a alucinante temporada de 2008, que muita polêmica - boa - gerou podemos voltar gradativamente à nossa vida normal, nos refazendo devagarinho das intensas emoções recentemente vividas. Nada melhor para iniciar essa retomada do que trazer de volta mais um post da série MAIS BELOS CARROS eleitos pela revista F1 RACING. Conheceremos hoje o carro número 16 da lista:



#16 - Renault R24 - 2004

Designer: Mark Smith
Pilotos: Fernando Alonso, Jarno Trulli, Jacques Villeneuve
Vitórias: 1
Poles: 3
M.volta: 0
Pontos: 105

O R24 foi um carro extremamente inovador na Fórmula 1 em termos de design aerodinâmico, chamado de carro onda o Renault de 2004 adotou linhas nunca antes usadas, principalmente em suas entradas de ar laterais, onde em seu início a carenagem tinha uma linha de altura compatível com essa entrada lateral que se curvava para baixo tornando-se sinuosa no meio e subindo em seu final, terminando em uma aleta que direcionava o ar diretamente para cima (observem nas fotos, clicando nelas para ampliar). Essa linha sinuosa foi apelidada de onda e por isso o carro recebeu o apelido de carro onda, reparem nas fotos que até o patrocínio Mild Seven entrou nessa "onda" e ficou todo retorcido em seu leiaute lateral. O artifício aerodinâmico se mostrou extremamente eficiente e a Renault conseguiu fazer do R24 um carro eficaz.

Com um bom carro e excelentes pilotos, o R24 conseguiu a façanha de derrotar em Mônaco o poderosíssimo Ferrari F2004, dono de nada mais nada menos do que 15 vitórias em 18 corridas disputadas no certame. O R24 foi a semente gerada pela Renault para triunfar na Fórmula 1 no ano seguinte, pois foi com a evolução do R24 que a Renault conseguiu definitivamente o que perseguia avidamente desde a década de 1970: os dois títulos máximos da categoria, de pilotos e de construtores.

O único ponto negativo da equipe francesa em 2004 foi a injusta demissão de Jarno Trulli, justamente ele que foi responsável pela vitória da equipe em Mônaco, por motivos meramente políticos, o piloto se envolveu em um imbróglio com o diretor esportivo Flávio Briatore e foi expulso antes ainda da temporada terminar. Uma pena, pois seria a valiosa chance de avaliarmos o real potencial de Trulli em uma equipe de ponta, ele merecia essa chance...

domingo, 9 de novembro de 2008

E agora: os 7 PIORES



Escolhidos os sete melhores, agora chegou a hora de escolher os PIORES PILOTOS do ano. Mantendo a explicação dada no post anterior o número escolhido pelo blog para determinar os pés de breque de 2008 ficou fixado em sete, para não fugir do padrão estabelecido.

Vamos aos DESASTRES de 2008:

7° Colocado - KAZUKI NAKAJIMA

O filho de Satoru Nakajima mostrou em 2008 que realmente herdou o DNA de ruindade ao volante de seu pai. Lento em classificações, apagado durante as corridas, Kazuki tomou uma verdadeira surra de seu companheiro de equipe em 2008. Alguém poderia alegar como tese de defesa ao japonesinho ruim de roda que o carro da Williams não confirmou as expectativas favoráveis da pré-temporada e foi muito mal no campeonato, mas o que dizer então do contraste de resultados entre Kazuki, que obteve um sexto lugar como seu melhor resultado, e Nico Rosberg que levou o fraco Williams a dois pódios, chegando a um brilhante segundo lugar em Cingapura?
Não tem argumento... O japonês é ruim mesmo e só não mereceu lugar mais elevado nessa lista porque o páreo de pés de breque de 2008 foi DURÍSSIMO.


6° colocado - NICK HEIDFELD

Nick Heidfeld teve em 2008 o melhor carro que guiou em toda sua carreira na Fórmula 1. E o que fez? Muito pouco... Heidfeld foi fraquíssimo em treinos classificatórios, chegando a ficar no Q3 no GP do Japão, e obteve como melhor posição de largada uma fraca quinta posição, enquanto Robert Kubica obteve a pole position no Bahrein e largou em segundo lugar na Austrália e no Canadá. O fato de largar sempre no pelotão intermediário relegou Heidfeld quase sempre a batalhas por posições intermediárias demais para o bom equipamento que dispunha. Enquanto Kubica lutou até às ultimas corridas pelo título - correndo por fora é verdade, mas lutou - Heidfeld foi um coadjuvante sem brilho que obteve alguns bons resultados devido mais à competência de seu carro do que à sua performance como piloto.
Nick Heidfeld talvez tenha em 2009 sua última chance de mostrar alguma coisa, senão outros rumos o esperam...


5° Colocado - JENSON BUTTON

Culpar alguém que pilota uma Honda tão raquítica por sua baixa performance parece ser tarefa das mais cruéis, mas isso não tira a responsabilidade de um piloto fazer o melhor que pode com o equipamento que tem em mãos. Jenson Button é piloto de ponta - já demonstrou isso em um passado recente - mas em 2008 sua performance foi ridícula. Tomara que a razão para esse declínio performático de Button seja o desânimo de amargar dois anos em um carro tão ruim, logo ele que - depois de vencer em 2006 com essa mesma Honda que se arrasta atualmente - sonhava tanto em brigar pelo título à partir de 2007.
Jenson Button não é ruim, foi ruim em 2008...


4° Colocado - DAVID COULTHARD

Que maneira melancólica de encerrar a carreira!!! Que David Coulthard não é brilhante e nunca poderia ser considerado piloto de ponta, disso todo mundo já sabia, mas não precisava exagerar, né? Coulthard foi sofrível em 2008, lento nos treinos classificatórios, não foi melhor em corridas, onde chegou a atrapalhar vários pilotos pelos inúmeros acidentes que causou ao longo da temporada.
Infelizmente, Coulthard, a frase que mais se ouviu a seu respeito esse ano foi: JÁ VAI TARDE...


3° Colocado - KIMI RÄIKKÖNEN

O que ocorre com o piloto escolhido por Maranello para substituir seu ídolo maior, Michael Schumacher? Como um piloto que guia o melhor carro do grid pode vencer míseras duas corridas em uma temporada? Respostas muito difíceis de responder, principalmente se tomarmos por base o excelente campeonato de Räikkönen em 2005. É difícil compreender como o piloto tão aguerrido e espetacular de 2005 foi se transformar na personificação da apatia ao volante em 2008.
Kimi Räikkönen foi completamente dominado por seu companheiro de equipe em 2008 e se não tratar de acelerar muito está fadado a tomar outra surra em 2009, abre o olho, Kimi...


2° Colocado - NÉLSON ÂNGELO PIQUET

Quanta decepção o filho de um dos maiores ícones da Fórmula trouxe para os fãs que herdou de seu pai vencedor! Nelsinho fez uma temporada muito abaixo do que a pior das expectarivas criadas em torno dele poderiam prever, pois foi lentíssimo nas classificações - ficou no Q3 em incríveis seis vezes na temporada - muito mal nas corridas e propenso a acidentes. Comparar sua performance com a de Alonso é muita covardia, mas Nelsinho tinha por obrigação lutar por pontos e até pelo pódio de vez em quando. Ao invés disso, o filho do tricampeão brigava constantemente era com as duas Force India e as duas Honda por posições de fim de grid, a Renault merecia algo melhor.
Nélson Ângelo Piquet ganhou de presente a renovação de seu contrato por mais um ano por força de seu sobrenome e pela intervenção de seu pai nas negociações de fim de ano, mas não há sobrenome que agüente mais um ano de resultados tão medíocres. ACORDA NELSINHO...


1° Colocado - HEIKKI KOVALAINEN

Campeão dos campeões dos pés de breque do ano, Kovalainen foi medíocre... Aliás, já tinha sido em 2007 à bordo de uma Renault, mas mesmo assim ganhou de presente um dos mais valiosos assentos da Fórmula 1 por um único e simples motivo: Ron Dennis não queria ninguém de peso para atrapalhar seu pupilo Lewis Hamilton. Mesmo assim, Kovalainen não precisava exagerar tanto na incompetência, chegar ao fim do campeonato numa péssima sétima posição - atrás de carros muito mais fracos - e ser o principal responsável pela perda do título de construtores da Mclaren foi muito até para o finlandês-tartaruga. O ápice de sua ruindade foi o GP da Itália, onde conseguiu ser derrotado por um TORO ROSSO.
Heikki Kovalainen é um dos piores pilotos que ocupou um carro vencedor na história na Fórmula 1, ou desabrocha um improvável talento em 2009 ou senão vai guiar sabe-se lá o que em 2010...
Como vem dizendo Galvão Bueno durante as transmissões: "ESSE NÃO É DO RAMO !!!", mas o melhor coisa que ouvi sobre esse arremedo de piloto foi a alcunha em sua homenagem criada por meu amigo Rodrigo Kezen: "(...) Esse finlandês é tão ruim que deveria se chamar COCOVALAINEN..."